terça-feira, 26 de janeiro de 2016

DROPS DE FDS

Olar pessoal! 
Este final de semana foi prolongado, por conta do aniversário da cidade de São Paulo, então resolvi escrever um Drops de como ele foi! 


Ando me esforçando muito para criar (ou no caso retomar) alguns hábitos, como cuidar melhor do meu corpo e alimentação, para estarem em sintonja com a minha mente (que anda muito leve e em paz). E sabendo da minha veia preguiçosa, Thiago me incentivou a acordarmos cedo no sábado para dar uma volta no parque. Bem perto de casa tem um parque bonito, bem legal e cuidado, daqueles que as pessoas frequentam, zelam. 

Acordei cedinho, caminhei, corri e quando cheguei em casa fiz alongamento e abdominais. Íamos fazer uma viagem de amigos, mas como tempo não estava inspirando muita confiança, decidimos adiar a viagem e ficar por SP! Mas para minha alegria, o sol resolveu dar as caras e fui usar a piscina do prédio pela primeira vez! Eu fiquei realmente feliz, pois sou muito chegada no sol e estava sentindo um pouco de falta do meu querido verão (ainda mais agora que moro num lugar com piscina!).

No final do dia, meus amigos vieram em cada para uma reuniãozinha. Chamo de reuniãozinha, mas na verdade era um "vamos comer e fazer nada juntos", que aliás, é uma das minhas coisas favoritas da vida! Quem me acompanha no snapchat (é vivisfroes, segue lá!), viu a bagunça que fizemos! É realmente uma das minhas coisas favoritas da vida curtir meu tempo com os amigos!


Domingo ficamos mais sossegados, mas aí decidimos ir ao cinema com o bonde todo. Assistimos Creed: Nascido Para Lutar. O Thiago e eu já havíamos assistido, mas achamos que os sogros e conhado iriam gostar (e gostamos tanto) que vimos novamente. Se você gosta de filmes que mostram superação, força de vontade, velhos fofinhos e uma trilha sonora do cara***, acho que vai gostar! Obviamente, quem é fã da série "Rocky Balboa" vai amar muito! Usei um look mais ousado para ir ao cinema, bem a minha cara: chamativo e confortável, com as peças da última colab da Adidas + Farm.

E na segunda tive um dia bastante especial! Consegui ir na piscina de novo (e dessa vez entrar na água congelante) e depois fui ao meu primeiro show de banda internacional! Venho amando muito o trabalho da banda Magic! (Não conhece? Então para tudo e dá um play!), que mistura o reggae com um pop rock que me agrada. Quis usar um look que ficasse confortável, mas que fosse bem estiloso, então fiz a combinação que estava ensaiando desde o comecinho do mês, com essas saias lápis de tecido mais "casual", top cropped e tênis! (perdoem a foto desfocada, tenho outras melhores, mas quando fiz a montagem não vi que essa estava ruim!).

Finalmente fez calor o bastante para isso! O kimono por cima foi mais para "arrematar o look", mas confesso que tirei assim que sai de casa, pois estava bem quente no final da tarde (coisa de 32º nos relógios da cidade). E usei de novo para vir embora à noite. Bem coisa de mãe, para não resfriar! HAHAHAHAHA eu amei muito o show, não estava lotado e o vocalista é daqueles que a gente quer colocar no potinho. Ele estava interagindo muito e fazia brincadeiras fofas e dancinhas do amor! 

No final das contas, não viajei, mas fiz várias coisas legais e gostosas na cidade! E vocês? O que fizeram no feriado?


segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

A VIDA QUE A GENTE NÃO VIVE


A gente passa tempo demais reclamando da vida.

É da chuva, do calor, do trânsito, do trabalho, do dinheiro, da falta dele, da morte, da alegria alheia, daquilo que a gente não conquista.

A gente passa tempo demais se esquecendo de viver. E nessa, vamos nos esquecendo dos momentos de riso solto, dos dias enfurnados na cama vendo Netflix, dos dias de sol esquentando a pele corada, dos dias de chuva, que são sim difíceis de se locomover, mas não podemos negar quão delicioso é ver a vida florescendo debaixo das gotinhas geladas. 

A gente se esquece do gosto da comida boa, do sabor da cerveja gelada, do cheiro de mar. Das bolhas de coca-cola recém aberta batendo no nariz, do conforto de um abraço demorado.

A gente não dá valor para as pequenas grandes coisas da vida. Vivendo no automático, a gente aprende apenas a reclamar das pequenas coisas ruins, que se formos parar para analisar, são tão pequenas que nem merecem a nossa atenção.

Mas, tenho que ser realista, tem dia que a falta de gentileza no transporte público incomoda sim. A folga no trânsito, a trairagem na vida profissional. A gente é humano, não tem sangue de barata.

Porém, justamente por ter esse sangue quente correndo nas veias, que é melhor a gente escolher viver esses pequenos momentos ruins brevemente e reservar para a maior parte da vida um largo sorriso de gratidão.

A gente pode ser feliz todos os dias!


quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

4 FILMES PARA REFLETIR SOBRE A VIDA

Alguns aqui já deve ter notado, mas sou uma pessoa viciada em livros, filmes, seriados e qualquer coisa que possa me contar uma história. Melhor ainda quando essa história me faz refletir sobre a vida. Mas não aquela reflexão pesada, com mortes, tiros, explosões. Sabe aquele tipo de história que é incrível por ser simples?

Pois bem, pensando nisso, resolvi listar para vocês 4 filmes para refletir sobre a vida de maneira leve e possivelmente descontraída. Saibam de imediato que eu não sou uma daquelas pessoas, que só assiste cinema independente, ou que lê apenas os livros mais fora da curva. Não. Eu sou uma jovem simples e prática, que gosta de tudo aquilo que toca na alma (que profundo!), então vamos lá!
Taí um filme que sempre que eu penso “nossa, tô precisando dar uma lavada na alma”, eu assisto. Essa é uma daquelas histórias que nos fazem repensar todas as escolhas da nossa vida: onde estamos, onde gostaríamos de estar, quem amamos, o que realmente nos faz feliz. Pode ser um pouco arrasador, eu confesso, afinal coloca em xeque as nossas escolhas e a nossa real noção de satisfação com a vida. Me identifico muito com diversos momentos do filme que, além da história, possui uma fotografia maravilhosa, de paisagens e cenas incríveis.

2 – Cidades de Papel (Livro e Filme)


Cidades de Papel foi meu segundo livro do autor John Green e eu gostei muito mais do que o aclamado “A Culpa é das Estrelas”. Também gostei muito dele, mas Cidades de Papel me tocou de maneira diferente. Ele fala muito do “aqui e agora”, sobre a vida que levamos e que podemos levar, mas também sobre amizade, amores platônicos e o rito de passagem da adolescência para a vida adulta. Ele causa uma certa nostalgia, misturada com reflexão. O filme tem grandes diferenças com a história original e o próprio autor disse que o filme ficou melhor. No final das contas, achei ambos singelos e tocantes, ótimos para um passatempo leve e descontraído.



De todos os filmes que vou indicar hoje, esse é, de longe, o mais dramático. A história central dele também é sobre a vida de adolescentes em transição para a vida adulta, mas toca em pontos muito mais intensos, daqueles que remexem nas nossas emoções. Tanto nos lembrando das nossas próprias vidas, quanto pensando na vida de tantos jovens que são tímidos, deprimidos, inseguros (e no final das contas, quem não era?). As Vantagens de Ser Invisível fala de amor, aceitação e superação e se você for sensível, com certeza ficará emocionado.

4 - Chef (Filme)


Pensem num filme delicioso (com o perdão da palavra!)! Chef é um filme americano independente, super divertido, que nos faz pensar no que realmente nos faz feliz e completa profissionalmente. Para os amantes de comida, aviso: assistam alimentados! Aparecem tantas comidas saborosas, que você com certeza ficará com vontade. Mas além da vontade da comida, terá vontade de fazer a mesmíssima coisa que o protagonista faz: rodar a vida fazendo o que ama, com quem ama, do jeito que ama. Eu tive vontade de largar tudo e ir ser MUITO feliz quando assisti esse filme e ele entrou para a lista de preciosidades que assisto quando estou desanimada, porque é uma grata injeção de ânimo.

Linkei as críticas dos filmes nos títulos, caso você queira se aprofundar um pouco na história! Acontece que eu sou péssima em escrever sem dar spoilers, porque fico com MUITA vontade de contar tudo, então prefiro só dizer "é muito bom, assista!" hahahahaha Então são esses os meus filmes (e livro), que me fazem refletir sobre a vida! (confesso que nem todo mundo gostou desses filmes como eu, mas espero que vocês gostem!).

Você já viu algum deles? Tem algum para me indicar?



terça-feira, 12 de janeiro de 2016

HOJE NÃO


Hoje eu não consegui ser superior.

Hoje eu não consegui simplesmente ignorar a raiva e canaliza-la num pensamento positivo. Hoje não. Fui atacada pelo sentimento mais primitivo de dor ao pensar que terei que passar por cima disso sem um ponto final.

Senti meu estômago revirar o café, ainda quente na barriga, enquanto escrevia o último e-mail. Refleti sobre como a vida é engraçada e como tem gente sem caráter, escrúpulo e educação. E pior: como elas não estão nem aí por serem esse lixo.

Meus olhos ferveram, junto com meu peito, mais uma vez. Porque a vida adulta exige que eu suprima todas as minhas emoções. A vida profissional exige que eu mascare todas as frustrações. E isso me deu mais raiva.

Me deu mais raiva e me consumiu, mas decidi não lutar. Não tomar o remédio para o estomago, não controlar a respiração, não ouvir uma música calma e positiva. Não. Deixei a raiva passar por cada parte do meu corpo.

Não sei explicar exatamente o porquê, mas preferi. Talvez amanhã eu já nem lembre mais dela, mas a vida não se constrói apenas na alegria. E eu sei que toda essa raiva, que lateja no meu estomago agora, está me preparando para ser uma mulher mais forte, mais decidida, mais correta e mais leal a mim mesma.

Essa raiva me lembra hoje que aqueles a quem eu tanto admirei, não passam de um monte de lixo na montanha de sujeira da vida, onde a gente joga tudo aquilo que não constrói, não realiza, não edifica, não serve. E é lá que eu vou jogar essa raiva também, mas não hoje. Hoje eu me permiti senti-la pela última vez.


COMO FAZER DELINEADO PERFEITO FÁCIL


Toda vez que vamos fazer aquele delineado maravilhoso começa o drama, né? É quase que uma guerra fazer esse tipo de maquiagem, porque é muito fácil errar o traço e ficar tudo torto! Mas, como já cansei de dizer por aqui, tudo na vida é possível, desde que exista um pouquinho de treino e dedicação!

Para provar que é possível fazer um delineado perfeito facilmente, gravei um vídeo super rápido dando duas dicas, usando Delineador Líquido e Delineador em Gel, para as amantes dos dois tipos de produto!

Ficou curiosa? Então aproveita e aperta o play!



Sei que ambas técnicas exigem prática e treino, mas tenho certeza que vocês são capazes de reproduzir, afinal são super fáceis e práticas! Como disse no vídeo, quero ver vocês tentando e publicando com a hashtag #pitadadeestilo!

Agora, toda semana vou trazer uma proposta para a série #ComoFazer, sempre com dicas de beleza, desvendando aquela maquiagem da moda, de forma rápida e descomplicada, então se quiser ver os vídeos em primeira mão, se inscrevam no meu canal: www.youtube.com/vivisfroes <3

Gostaram da proposta?



segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

RESENHA: BLUSH BRONZENTE DA QUEM DISSE, BERENICE?


Se tem um produto que eu quase não uso no dia a dia, esse produto é o blush! Normalmente não gosto do efeito muito colorido que ele dá ao meu rosto, nem o acabamento da maioria dos produtos, que sempre são mais festivos. Mas aí quem disse, berenice? lançou uma coleção MARAVILHOSA, chamada Helena Morena, inspirada nas mulheres guerreiras (gente, quanto amor nessa marca!) e no meio dos produtos lindos, estava esse blush acetinado que me conquistou, chamado Bronzente!

Tenho diversos blushs da marca, tanto os "normais", quando os super brilho baked,  que são mega iluminadores, e nenhum dos normais possuíam esse efeito acetinado, com brilhos que colorem e iluminam ao mesmo tempo. Foi preciso usar uma única vez para eu descobrir que seria o meu blush favorito. Ele não é muito coral, nem muito rosa, nem muito bronze com esse fundo levemente alaranjado.

Os blushs da marca são ultrafinos, com uma textura leve e pigmentada, daqueles que se a gente capricha um pouco mais na mão já fica parecendo uma chinelada! Como o Bronzente é acetinado, esfuma mais fácil e por ter brilho, não pede iluminador logo em seguida, deixando um efeito de pele bronzeada, viçosa e saudável! Duvidam? Então dá uma olhadinha:


Achei o efeito desse blush realmente muito bonito, virou paixão nacional-verdadeira-intensa da minha vida, e olha que eu não gosto de ficar rosadinha. O único ponto negativo é que foi produto de coleção limitada, então talvez a gente não encontre nunca mais para comprar. Resolvi fazer o post declarando todo meu amor nesse produto para ver se berê decide mantê-lo no mercado hahahahahahah Vi no site que ele ainda está à venda, então talvez a marca já esteja atendendo nossas preces!

O produto custa R$39,90 e vende na loja online e nas lojas físicas da marca :)




quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE BARRA GRANDE - BA


Oi pessoal! Tudo bem?
Hoje vou liberar, finalmente, o vídeo "Tudo que você precisa saber sobre Barra Grande, na Bahia", onde conto um pouco da minha experiência nesse pedaço de paraíso que fica no litoral sul baiano. No vídeo, mostro vários lugares que visitei e as minhas presepadas (que foram muitas até!), então se você estiver curioso, dá um play!




Bom, dei algumas informações no vídeo, mas como sei que muitas pessoas não podem ver vídeos no horário de trabalho, então vou dar tooodas as dicas por aqui!

Como chegar em Barra Grande?

Chegar em Barra Grande não é tão fácil, ela fica há 60 km de distância de Itacaré e, atualmente, tem dois acessos: pela BR 030 ou por Camamu, município da região. A estrada é relativamente nova, construída há 7 anos, mas faz apenas 1 ano que os nativos começaram a cuidar dela para melhorar o acesso, já que se tratam de 48km de uma estrada de terra. Ela é basicamente uma reta, mas sem iluminação e com sinalização escassa, então se você decidir ir de carro, prefira ir de dia. Um transfer para lá, saindo de Itacaré, custa em torno de R$350 reais (é mais perto chegar pelo aeroporto de Ilhéus do que por Salvador).

Como estávamos dispostos a economizar, busquei uma opção mais acessível. Existe um ônibus que sai do Terminal Rodoviário de Itacaré, com destino à Bom Despacho (mais de 150km de Itacaré), mas ele para em Camamu, onde lanchas rápidas saem de meia em meia hora, passando nas ilhas da região até chegar no atracadouro de Barra Grande. A passagem do ônibus custa R$14 reais e a lancha uns R$20, ambos por pessoa. Confesso que mal consegui dormir no ônibus, afinal o "passador" (assim que chamam o cobrador kkkk) só disse "Camamu é daqui uma hora". Muito vago, mas realmente chegamos lá após uma hora de viagem, e a descida do ônibus foi meio assustadora, já que vários moços ficam na porta, querendo vender passagem de lancha. É tudo bem rápido, eles se apresentam, te guiam até o funcionário da empresa responsável, você compra e depois te levam para o ponto da lancha. O senhor que fez isso para nós, carregou uma de nossas mochilas, mas não sei se todos carregam.

A lancha demorou uma meia hora para sair e foi lotada, não tinha coletes salva vidas, nem muita segurança. Como devem ter visto no vídeo, era muita água pra pouca gente, mas os caras estão acostumados e, quando estamos viajando, a gente se joga mesmo! (Ainda mais se for para economizar uma grana!).  A lancha vai deixando passageiros em vários atracadouros e fiquei meio aterrorizada, já que em alguns ele só chegou pertinho, para as pessoas pularem, obviamente que me vi afundando naquelas aguas escuras em todos eles. No ponto final, ele para e ajuda os "turistas"a descerem, acho que fica explícito em nossas caras o tanto de medinho que estamos sentindo, mas mesmo com o medinho, foi especial. Vi um Brasil que não conhecia ainda, de gente que vive em barco para se locomover, mas que vive bem, pelo que me pareceu.


Onde se hospedar em Barra Grande?

Como disse no vídeo, nos hospedamos na Pousada do Holandês, que é muito charmosinha, limpa e aconchegante, mas ela fica há uns 7km do vilarejo. Existem dversas pousadas na região, desde Maraú, até a vilinha de Barra Grande. Meu conselho é pesquisar BEM os lugares que deseja conhecer e o tipo de experiência você quer ter, pois ficamos bem distantes e é um lugar com pouquíssima iluminação, sendo praticamente impossível se locomover à pé durante a noite. O que nos leva a outra questão, o transporte!

esse micos moravam nas árvores do lado da nossa pousada, iam roubar nosso café da manhã
Como é o transporte em Barra Grande?

Caro e limitado, resumindo. Existem quatro formas de transporte na região: taxi, jardineira, moto-taxi e quadriciclos. Felizmente experimentei todos e posso falar de cada um! Assim que chegamos, cansados depois de horas de viagem debaixo do sol da Bahia, só queríamos chegar na pousada, então fomos para o ponto de taxi e cobraram R$40 reais para nos levar. Confesso que surtei com esse valor, então choramos por R$35. Depois descobrimos que os valores são tabelados na região e cada transporte tem o seu, por ex: as Jardineiras cobram o mesmo valor que os taxis pelas distâncias, mas elas saem com, no mínimo, 4 pessoas, custando R$12,50 por pessoa. O único problema é que, se você estiver em um número menor, precisa pagar o valor cheio, caso não tenha ninguém para rachar a jardineira. O moto taxi, do vilarejo até a pousada custou R$12 por pessoa, super vantajoso para nós que estávamos em dois! Andar de moto por areias fofas pode ser uma aventura, mas foi gostosinho e rápido.

Já os quadriciclos são um capítulo à parte, toda a Península de Maraú é plana, bem diferente das praias da região, e como ela é extensa, os nativos usam basicamente quadricículos para se locomover (vale dizer que eles são considerados veículos rurais, por isso não é necessária habilitação para dirigi-los, porém eu não me arrisquei, afinal as nossas vidas são coisa séria!). Existe uma Associação dos Locatários de Quadriciclos, mas qualquer nativo que você abordar conhece alguém ou tem um para alugar. Fomos em baixíssima temporada (mais detalhes sobre isso abaixo), então encontramos preços mais "ok", mas pesquise já que muitos nativos alugam os próprios quadriciclos! Alugamos o nosso com o Afonso, que possui uma empresa de mergulhos noturnos em Taipus de Fora, e pagamos R$150 na diária + combustível consumido. Ouvi dizer que em alta temporada, esse valor sobe para a faixa dos R$250 reais, porém negociem, é sempre possível negociar! Valeu muito à pena, deveria ter alugado todos os dias, mas tudo bem! Fica de experiência! O ponto é: se você se hospedar no vilarejo, não precisa ter um transporte fixo todos os dias, ele é mais necessário para quem se hospedou longe como nós, ou para ir nos pontos turísticos da região, que é o nosso próximo ponto!

OBS: vale dizer que em baixa temporada o transporte acaba entre 21:30 e 22h.

a bud na mão foi zuera do th! eu não dirigi o quadriciclo! kkk
O que fazer em Barra Grande?

A península é enorme, mas achei o turismo da região ainda muito cru. Muitos dos guias fazem apenas passeios náuticos, passando pelas ilhas, cachoeiras e mergulhos, a vantagem é que dá para fazer muita coisa por conta, economizando um dinheiro e botando a cara no sol! 

Taipus de Fora é o lugar mais especial da região, onde a maré baixa o bastante para formar uma grande piscina natural cristalina, com uma biodiversidade marinha impressionante. Uma das grandes vantagens de termos nos hospedado longe do vilarejo foi poder ir caminhando até lá em dois dias diferentes! No segundo, praticamos Mergulho de Batismo, com a empresa Carpe Diem, que eu indico de olhos fechados. Eu tenho muita fobia de mar, pois não sei nadar, mas tive um instrutor só para mim, que me ensinou o procedimento e me levou pela mão o mergulho inteiro, mas vou fazer um texto somente sobre isso, o ponto é que, para quem sabe nadar, também tem pessoas alugando snorkel e pé de pato para mergulho de superfície, porém foram os R$110 (por pessoa) mais bem gastos da viagem inteira, então acho que é uma experiência muito válida!

foto retirada do banco de dados do google, não encontrei o autor original dela! me avise se for sua :)
Foi neste dia que alugamos o quadriciclo, de lá fomos até a Lagoa Azul, um lago que foi formado pela água da chuva, só tiramos foto e seguimos em frente, passamos pela trilha das bromélias gigantes (e elas eram gigantes mesmo, coisa de DOIS metros de altura :O ), chegando na Lagoa e Praia do Cassange, um dos lugares mais loucos que já vi na vida. Pense numa faixa de areia de uns 300 metros, de um lado a agua azul turquesa cristalina do mar e do outro a agua escura de uma lagoa com mais de 11km de extensão, também formada por agua da chuva. Descemos para nos refrescar na casinha que tem no local, admiramos muito aquela peça rara da natureza, mas não paramos para almoçar lá. Afonso, que nos alugou o quadriciclo, deu a dica: ir até Taipus de Dentro para comer a melhor comida da região (que também vai ganhar post exclusivo!), no restaurante do Fábio. Taipus de Dentro não é ponto turístico, mas é uma vila tão singela e pacata, que merece a visita.

de um lado praia, do outro lagoa <3
Tirando esses locais, também existem as praias Três Coqueiros e Bombaça, que banham praticamente toda a Barra Grande, e uma listinha de lugares para conhecer de lancha: Pedra Furada, passeio das 4 ilhas e Cachoeira do Tremembé. Infelizmente não conseguimos fazer esse passeio, pois a nossa lancha não fechou o número mínimo de pessoas. Quem conseguiu ele para nós foi o próprio Tiago, da Carpe Diem, pelo melhor preço da região: R$40 por pessoa. Teve um menino, da principal empresa de turismo náutico, que queria nos cobrar R$100 por pessoa. Mais uma vez: pesquise bem e negocie!




lagoa azul
lagoa do cassange
praia da bombaça
Bom, depois de tudo isso, chegamos em dois pontos importantes: o que tem para comer e como é a noite em Barra Grande?

Como tudo foi descoberto na base do susto, com esses dois pontos não foi diferente! Descobrimos que a cidade fica movimentada apenas em altíssima temporada (tipo agora), então nos outros períodos nem todos os comércios abrem e de final de semana é tudo bem parado pela noite, principalmente de domingo. Tanto que quase tivemos que voltar à pé, no breu, para a pousada! Não comemos em muitos lugares por lá, já que estávamos hospedados muito longe da vila e ficava difícil sair à noite e ficar bebendo uns drinks e curtindo a night, porém, como nos disseram, a cidade ficava bem parada em baixa temporada, então talvez não tenhamos perdido muito!

No vídeo mostrei um pouco da minha experiência com um dos restaurantes, mas tenho certeza que nem todos são daquele jeito! Pelo contrário!

No final das contas, Barra Grande é bucólica e selvagem, com uma pureza inestimável, de cidade pequena e intocada. Ela ainda vai mudar muito, tenho certeza, mas já é incrível do jeito que é. Confesso que tive muito receio de ser ruim, confesso também que não aproveitei tudo que eu gostaria do lugar, mas sai de lá completamente apaixonada e apegada, querendo mais dois ou três dias para fazermos as pazes por completo! Se alguém me perguntar "devo ir até Barra Grande?", vou responder "sem sombra de duvidas", mas antes vou dar todas as dicas possíveis e imagináveis, para que a experiência seja 100% desde o princípio.

Agora? Já ando planejando as próximas!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...