quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

TCHAU 2016


Mudei.
Mudei várias vezes. Comecei o ano mudando, deixando para trás os longos cabelos que ostentei por dois anos. Cortei para doar e mudei. Me olhei no espelho por diversas vezes e não me reconheci e, no auge do meu incomodo, mudei mais uma vez. Vivi um turbilhão de mudanças intensas e vivas, como o próprio pulsar do universo. E cheguei até aqui.

Mais uma vez sento nos últimos dias do ano para olhar de camarote tudo o que passou e vejo o quanto mudei do começo do ano para cá. A vida tem dessas coisas, né? Mas abracei cada pequena mudança e segui.

Acho que o residual, aquela sensação fininha e aguda que a gente carrega pra sempre, é o que mais fica. Quanto aprendizado. Ainda ontem li no facebook de um conhecido: crescer, muitas vezes, significa se sentir sozinho.

Foi um ano difícil, um ano de muito autoconhecimento, esforço emocional, descontrole, surtos, medo. Mas acima de tudo, foi o ano que, pela primeira vez me coloquei em primeiro plano. Me tornei estrela principal da minha própria vida. Quem me vê falando assim deve pensar "nossa, mas que coisa mais óbvia", mas quem convive comigo de perto sabe: eu vivi a vida inteira colocando os outros sempre acima de mim.

Desse jeito eu fui abrindo mão de mim mesma, da minha raiva, da minha felicidade, me deixei levar. Olhando daqui, quase no finzinho do ano, nem eu consigo compreender porque eu sempre fiz isso. Talvez eu sentisse que devia, talvez eu achasse que para ser feliz bastava fazer com que as outras pessoas estivessem sempre bem, mas aprendi: não, eu não preciso fazer com que todos os outros estejam bem. Só eu mesmo.

E assim fui. Aprendi que a culpa e a raiva me consumiam de um jeito destrutivo. E que elas me impediam de fazer as coisas que eu tinha vontade, principalmente ser feliz. Aprendi que tudo bem sentir medo, desde que eu prossiga sem ficar travada por ele. E aprendi que tudo bem me colocar na prioridade algumas vezes. Na verdade, em todas elas.

Revisitei o significado de amizade, fortalecendo e sendo fortalecida por pessoas sólidas, amáveis, firmes, engraçadas e, acima de tudo, humanas. Que me olharam no olho e não julgaram, mediram ou condenaram. Fazia muito tempo que eu não me sentia acolhida. Mas, como disse no começo do texto, crescer é estar sozinho às vezes.

Foi o ano que mais fiquei sozinha em toda a minha vida. Diferente dos outros anos, que tinha pouquíssimas pessoas com quem contar, de fato, nesse ano eu pude escolher ficar sozinha e crescer a duras penas, também sozinha. Mesmo tendo muita gente por perto. Não é fácil ficar sozinha. Encarar a parede branca, o teto monótono, o silêncio. As contas, os seriados e filmes assistidos sozinha, o peso de uma vida inteira sem ter alguém para dividir o dia a dia.

Mas até nisso eu aprendi a ver beleza. Já que tudo isso faz parte da minha busca: busca pela minha essência, pela verdadeira Vivian, pela minha felicidade.

Se você me perguntar hoje, em pleno dia 28/12, se eu já encontrei respostas para todos os meus questionamentos, serei totalmente sincera. Não encontrei não. Mas me sinto cada vez mais no controle, cada vez mais perto de ser a pessoa que eu sempre quero ser. Olho para a Vivis do passado e vejo o quão controladora com tudo eu era. Apesar de ser bagunceira e desorganizada, sempre tive total controle de tudo que acontecia. Andava controlando, inclusive, o que ia acontecer. Me sentia confortável planejando absolutamente tudo.

Hoje não vejo mais que um palmo à frente do nariz. Tudo não passa de um grande borrão, com uma imagem turva, até mesmo dos meus sonhos. Mas sinto no coração a leveza de que, pela primeira vez, tudo bem não estar 100% no controle. 

A leveza de que, tudo bem, eu ser a pessoa mais importante da minha vida. E, principalmente, a beleza de que mudar é essencial para o crescimento. Por isso, para 2017, penso apenas:

Sigo mudando

(assim, sem ponto final mesmo)




quarta-feira, 23 de novembro de 2016

EXPERIÊNCIA ALICE


Fui conhecer a exposição Experiência Alice, que está rolando no Shopping JK Iguatemi, na Vila Olímpia, aqui em São Paulo a convite da Brasilprev e gostei tanto do que vi por lá, que decidi escrever um pouco sobre aqui no bloguinho!

Idealizada e concebida no Brasil, a Experiência Alice, é uma comemoração aos 150 anos do livro de Lewis Carrol, que conquistou gerações e mexeu com a imaginação de incontáveis pessoas. Pensada para criar uma imersão no universo de Alice no País das Maravilhas, a exposição é inteiramente exclusiva sobre as obras do autor, com um acervo notável de livros históricos, relógios e muita interatividade.

Já que em todos os 15 ambientes existem experiências que misturam a clássica animação da Disney, de 1951, à produção tecnológica que nos coloca dentro da história. Para mim, a exposição teve um valor afetivo muito grande. Me lembrou que eu esperava a animação passar na TV aberta todos os anos. Não tinha video-cassete por muito tempo e quando minha mãe conseguiu comprar um, não tinha a fita VHS, então eu esperava passar na tv e era um dos dias mais felizes do meu ano!


De qualquer forma, dos mais velhos, aos mais novos, a exposição cativa justamente porque nos conecta com o lado mais lúdico e imaginário. É como entrar na cabeça da Vivi de 6 anos e se ver brincando com a imaginação fértil de uma criança. 

Especial e delicada, divertida e nostálgica, a Experiência Alice me fez lembrar como eu tenho apego e respeito por esse universo mirabolante que a gente tem a capacidade de criar na própria mente. 

Bom, agora vamos ao que importa? A exposição vai até o dia 30, então se você quer sair um pouquinho da rotina e ter momentos leves e risonhos, vale a visita! Abaixo deixo todos os detalhes para quem quiser ir!

Aproveito a deixa para agradecer à Brasilprev pelo convite, foi definitivamente uma honra. E, claro, à minha princesa Adrieli, que tirou algumas horas do seu tempo para me acompanhar e viver isso comigo! 


Experiência Alice no  JK Iguatemi

Classificação: Livre (crianças até dois anos não pagam ingresso)

Data:  6 de outubro a 30 de novembro – segunda a sábado, das 10h às 21h; domingos e feriados, das 11h às 19h.

Preços: R$35 por pessoa Bilheteria do evento abre às segundas e terças-feiras, no Shopping JK Iguatemi a partir de 6/11/16. Crianças até 2 anos não pagam ingresso. Crianças de 2 a 12 anos, estudantes, idosos, deficientes e profissionais de educação pagam meia entrada.

Local: Shopping JK Iguatemi (Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041, Itaim Bibi) – 3º piso

Informações: (11) 3152-6800 ou (11) 3152-6809



sexta-feira, 5 de agosto de 2016

CARTA ABERTA ÀS MULHERES DA MINHA VIDA

ilustração de Januz Miralles
Meu bem, não se acaba com ditaduras, começando outras.

Quando você sentir que deve, e se sentir segura para tomar as suas decisões, tome-as.
Não deixe nunca que lhe digam os caminhos que deve seguir. Nem sempre devemos ouvir o que os outros têm a nos dizer e pouquíssimas vezes devemos nos importar com suas opiniões.

Vai e escolhe a cor da sua roupa e o tamanho da sua saia. Não ligue se disserem que você não deve, se você achar que deve, é o bastante. Quando quiser alisar seus cabelos, tingi-los, cacheá-los, raspá-los com a máquina zero, lembre-se: você é linda do jeito que escolher ser. Não tem problema não seguir o movimento.

Ah! Seguir o movimento...Você é tão mais incrível quando é independente! E não precisa se proclamar independente, nós duas sabemos que você é. Toda vez que se sentir desconfortável, reverta a situação. Você é boa demais para se sentir desconfortável dentro de si própria. Não tenha medo nunca de colocar suas insatisfações para fora, sejam elas com o outro, ou consigo própria.

Se olhe no espelho com olhos amorosos, tenha ternura a falar de si própria, você merece. Se aqueles quilinhos a mais estiverem te incomodando de verdade, sinta-se à vontade para escolher a melhor forma de perdê-los: dançando, correndo, lutando. Mas presta atenção: só se você sentir que é o momento, ok? Se você se ama e se aceita do jeito que você é, eu também te amo e te aceito do jeito que você é e vou te apoiar cegamente a seguir o caminho que escolher. 

Ninguém vai ter o direito de dizer que você está traindo o movimento, ou que você é menos mulher, ou que você é acomodada, ou qualquer coisa do gênero. Você tem o direito de ser como é, do jeito que escolher ser.

Mas também imploro, olhe para o lado com zelo. Dói quando vejo uma mulher tão incrível, julgando outra mulher tão incrível quanto, sem conhecer os detalhes de sua vida. Nós temos uma mania de competição tão idiota. E dessa mania surge a necessidade de julgar. Julgar a roupa, a noção de estilo, o cabelo, a maquiagem, a postura, o palavreado, o corpo.

E nós sempre julgamos com superioridade, já percebeu? Sempre achamos que somos melhores que nossos alvos. Depois de um tempo convivendo com mulheres tão incríveis e diversas, inclusive você, concluí: somos são maiores do que isso.

Já pensou que às vezes aquela roupa, que estamos achando horrorosa, faz aquela mina se sentir a pessoa mais excepcional do universo? (e que a noção de estilo dela deve ser respeitada?).

Já pensou que aquela mina admira quem passa pela transição capilar, mas que se sente mais feliz com o cabelo alisado e com luzes californianas? (e que isso não a faz menos mulher por não "se assumir" como é?).

Já pensou que aquela mina gorda é saudável pra caramba e ela se exercita para se sentir bem? (e não pra ser magra, como todo mundo espera?).

Já pensou que aquela mina negra sofreu racismo pra caramba e ela não precisa de mais o nosso racismo? (e sim de espaço para falar de suas lutas e oportunidades para crescer?).

Já pensou que aquela mina não é uma vadia por ir ao bar, balada, beber, curtir uma bagunça e se relacionar de forma casual? (e que ela tem o direito de ser assim enquanto sentir que deve ser assim?).

Tem tantas coisas que eu queria te dizer... Não me leve à mal, tá? Eu só queria te lembrar dessas pequenas coisas, que quando entramos no automático, esquecemos por completo! O que seria de nós, se não cuidarmos umas das outras, não é mesmo?

Toda vez que você se sentir pequena, vem aqui e lembra disso: Você é maravilhosa e livre para ser a mulher que bem entender ser. Não esquece, tá? 




domingo, 3 de julho de 2016

COMO USAR TÊNIS DE CANO ALTO NO TRABALHO

Quem me acompanha lá pelo instagram (não segue ainda? É @vivisfroes) sabe que eu posto meus looks diariamente e todos são looks de trabalho. Apesar de trabalhar numa agência de comunicação e ter uma certa liberdade para me vestir, eu sei que muuuuuitas pessoas gostariam de incorporar mais os tênis de cano alto em seus dias, mas que muitas vezes não sabem como montar visuais que sejam formais na medida certa.

Então, como eu sou uma usuária ferrenha de tênis todos os dias eu resolvi montar um "mini guia" de como usar tênis de cano longo para trabalhar. Dessa forma mais pessoas vão aproveitar a maravilhosidade que é unir conforto e estilo para trabalhar!

Eu sei que muitos empregos não permitem o uso de calçados casuais e eu fico hiper triste com isso, afinal não é um sapato ou um salto que nos fazem mais qualificados, né? Mas para vocês que podem usar tênis no local de trabalho ou têm sextas casuais na empresa, esse guia é para vocês!

Em primeiro lugar, acho que TODO guia de estilo deveria começar uma única regra: moda e estilo servem para passar mensagens não verbais sobre quem nós somos. Elas se tratam sobre a NOSSA essência e sobre quem somos e almejamos ser. Eu não posso chegar aqui e dizer: você PRECISA combinar esse tênis com essa calça, porque cada um de nós é um amontoado de referências e experiências e é daí que devemos tirar nossos significados. Acho que a principal função de um guia é dar uma direção de quais caminhos funcionam e da quantidade de possibilidades que nós temos quando nos permitimos criar.

Dito todo esse mantra da personalidade e amor próprio, acho que podemos começar!

1 - MESCLAR ESTILOS 

Se tem uma coisa que a popularização dos tênis trouxe foi a aceitação de que eles ficam bem com qualquer tipo de roupa e que cabem em qualquer tipo de situação, só precisamos saber como usá-los. A forma mais clássica de usar tênis no ambiente de trabalho é mesclar o calçado casual com peças clássicas e formais. O tênis quebra o estilo "alinhado" demais do look e deixa um ar moderno e despojado ao look, bem coisa de blogueira famosa mesmo!

Na prática: Camisa Branca Fina, Jeans Skinny e Tênis Reebok.


2 - BLAZER 

Se tem uma peça que sempre deixa o look com ares de adulto e arrumado, essa peça é o blazer. Eu não tenho um estilo clássico/formal, mas tenho um blazer preto no armário porque ele é uma das peças essenciais no armário de qualquer pessoa. Em algum momento da vida você vai precisar de um, pode ter certeza.

Inclusive, no terceiro colegial eu tinha um blazer roxo, com uma flor bordada no braço, era maravilhoso. Usava diariamente e fazia sobreposições com blusas de moletom e tênis de cano alto. Sempre fica bonito e incomum, vale tentar.

Na prática: Blazer Preto, T-shirt ou Camisa Branca e Tênis Adidas Cano Alto.


3 - VESTIDOS E SAIAS

Eu brinco que sou piriguete, pois eu AMO saias e vestidos, principalmente os justos e curtos. Acho lindos e que, se misturados com as peças certas, ficam estilosos e nem um pouco vulgares. O tênis, de cano alto ou não, quebra a sensualidade das peças curtas e justas, deixando com um toque mais divertido e leve.

Na prática: Vestido de festa e Tênis Vans.


4 – BÁSICO COM EMOÇÃO

Antes eu era muito muito básica. Mas era aquele básico sem graça, sabe? Então eu comecei a compor os looks básicos com acessórios e sobreposições, para transformar o básico com um pouco mais de emoção e estilo. A composição vai ficando mais interessante quando entra um brinco bonito, um cinto ou lenço interessantes, até mesmo uma jaqueta com as manguinhas arregaçadas e uma bolsa divertida.

Na prática: T-shirt Branca, Jeans Azul e Tênis Reebok


Aqui vão algumas imagens "da vida real" que eu posto lá no instagram!




Espero que tenham gostado e se joguem MUITO nos tênis de cano alto! <3


Um beijão


segunda-feira, 20 de junho de 2016

TOP 3: MÚSICAS QUE OUÇO TODO SANTO DIA E NUNCA ENJOO

Todo mundo tem aquela música favorita, que pode tocar infinitas vezes durante o dia, independente do dia, da hora, do lugar e que nunca vai enjoar. Mentira? Não né! Eu sempre falo das minhas, posto no facebook, uso trechos delas nas minhas fotos, me divirto com elas no snapchat (segue lá, é vivisfroes também!). E eu SEMPRE digo "nossa, essa música tá no meu top3 de músicas que eu nunca enjoo.

Então eu pensei aqui com os meus botões e já passou da hora de contar quais são as minhas músicas favoritas da VIDA. Obviamente que eu, como uma pessoa das humanas, sou muito ligada em músicas, sons, vídeos, e tenho uma infinita lista de artistas que eu gosto e acompanho (aliás, vem post sobre isso por aí, hein!), porém existem três músicas que sempre mexem comigo e que eu nunca canso delas. Ficou curios@ para saber quais são? Vamos lá!

3 º LUGAR - Mirrors - Justin Timberlake

Essa música está na minha playlist há mais tempo que eu possa me recordar e, apesar de amar muito mais algumas outras músicas do Justin, eu simplesmente nunca enjoo dessa. Não sei se é o ritmo, a voz do cantor, não faço ideia do que seja. Eu só continuo curtindo e curtindo como se fossem as primeiras vezes que a ouvi. Quem constatou que eu não enjoava dela foi o Th, que sempre me via escutando ela e curtindo MUITO, sem nem perceber que ela estava sempre nas minhas playlists.

Sem contar que esse moço, Sr Justin Timberlake, é um poço de perdição, né não? Então vem cá ouvir um pouquinho desse amô:



2 º LUGAR - Locked Out Of Heaven - Bruno Mars

Taí uma música que me faz pirar TODA vez! Essa eu preciso me segurar para não sair cantando e pulando no meio do trabalho, ou na rua! A letra, o ritmo, a voz do Bruno. Eu morro toda vez e ela nunca fica ruim. Sabe quando você pensa "nossa, não vou ouvir muito essa música" com medo de enjoar? Eu nunca senti isso com ela. Acho que nem nunca vou sentir. Ela simplesmente faz com que eu me sinta infinita. Eu sempre quero apertar o repeat e cantar com toda a minha força. Amo quando uma música causa isso em mim, parece que passa por todo o meu corpo! Conhecem esse sentimento?

Se não conhecem, experimentem se desligar do mundo por alguns poucos minutos:


1 º LUGAR - Stupid Me - Magic!

PARA TUDO! Essa é a música que quanto mais eu ouço, mais quero ouvir e que quanto mais eu ouço, mais eu amo! Há alguns meses comecei a ouvir mais da banda Magic! e fiquei simplesmente viciada no trabalho deles, até que em janeiro desse ano fui no show deles e confirmei: era amor verdadeiro. Stupid Me é aquile tipo de música que já começa agitada, mas que vai crescendo e te preenchendo por inteiro a cada nota. E a letra é ótima. Eu entendo como uma grande lição de amor próprio, afinal apesar de tudo no final da música a conclusão é: Stupid You e não Stupid Me. Ela é tão incrível que eu mal consigo descrevê-la de uma formal racional. Nunca ouviu essa música??

Então acho melhor você dar o play AGORA e sentir isso que estou dizendo:


Eu tenho mais uma porção de músicas que eu poderia escutar o dia inteiro sem enjoar, mas essas três são definitivamente o emu TOP3! Eu sempre me sinto animada, feliz e infinita escutando elas. Além de sempre pagar mico na rua, dançando e cantando em voz alta. Alguém aí faz a mesma coisa??

Me contem se vocês também têm músicas favoritas da VIDA! Vou amar saber!


sexta-feira, 10 de junho de 2016

RESENHA BASE ALTA COBERTURA QUEM DISSE, BERENICE?

Vocês já viram blogueira mais relapsa do que essa que vos fala? Se viram, por favor avisem, porque está complicado! Fiz as fotos dessa resenha há umas duas semanas, mas vacilona que sou, esqueci de fazer fotos do produto e eu odeio subir o post sem, porém eu estou há duas semanas pensando: faça as fotos do produto. E ainda não lembrei de fazer, então vai sem mesmo!

Logo quando a quem disse, berenice? lançou a nova base de alta cobertura eu fiquei na expectativa para testar, por dois motivos: 1) AMO a marca e acredito muito no que ela faz e 2) Estava carecendo de uma BOA base. Então fui testar e, para minha total satisfação, a danada é muito boa mesmo! Vou começar com o swatch:



Meu tom é o #7, um tom médio levemente amarelado. Gostei muito desse tom, pois ele ficou perfeito na minha pele, não muito amarelado, nem muito rosado. Ele é realmente o tom da minha pele, o que eu não encontrei com tanta precisão na primeira linha de bases da marca. O produto é mais denso, então você sente na aplicação que é uma base de cobertura maior, porém é possível construir camadas, das mais finas, para uma cobertura mais intensa para usar numa festa, por exemplo.

Mesmo sendo uma base mais grossinha, não achei que ela é daquelas que secam muito rápido, manchando a pele, pelo contrário, ela desliza muito bem na pele e espalha uniformemente. No meu rosto ela ficou boa até nos cantinhos chatos do nariz. Ela é realmente sequinha, então nos dias em que minha pele estava mais ressecada, eu usei um pouco de Fix da MAC (é uma espécie de água termal que prolonga a duração da maquiagem), antes da make para dar aquela hidratada leve no rosto sem a gordura do hidratante em creme. Afinal, até o hidratante mais sequinho, tem aquela gordurinha básica! 

Fiquei tão viciada na minha base que já foi mais da metade do produto. Inclusive, já estou testando outra que foi lançada recentemente, para dar um pouco mais de tempo de vida para ela na penteadeira. Sobre a duração, achei que aguentou bem o dia inteiro e mesmo com a oleosidade natural da pele no decorrer do dia, não achei que fiquei brilhando. Eu passo pouquissimo pó compacto, mais na região do corretivo para segurar o produto na região das olheiras, no restante é só aquele truque e mesmo assim a pele ficou sequinha.

A base é bem matificada, mas é aquele mate saudável, com cara de quem tá bonita naturalmente, sem virar boneca de cera. E tem uma transferência baixa. Transfere, como qualquer outra base, mas muito muito pouco. E a pele fica realmente bonita e viçosa.

Agora uma foto da make finalizada:


Aqui eu só fiz aquela maquiagem com cara de saúde que a gente AMA usar no dia a dia, para mostrar que mesmo sendo uma base de alta cobertura, ela não fica pesada e com cara de reboco. Super natural e uniforme! O ponto negativo da base pode ser o preço: R$61,90, mas considerando a entrega dela, achei que valeu à pena. Não deixou nada à desejar para bases gringas/mais caras que eu já testei. Inclusive, estou cogitando investir nela para a maleta. Comparando friamente, a Eudora tem uma base de alta cobertura (a Skin Perfection) que é boa só na hora da aplicação, já que depois deixa meu rosto mega oleoso e pesado e ela custa basicamente a mesma coisa, a diferença é que da berê é realmente boa, dai vale o investimento.

Tirando o valor, é uma ótima base e logo menos vou precisar de uma nova! Berê arrasou mais uma vez! <3


terça-feira, 3 de maio de 2016

SER O MELHOR DE NÓS MESMOS


Quando comecei a me exercitar em casa, policiar minha alimentação, diminuir as besteiras, ouvi milhares de comentários, mas o principal foi:

- Pra que isso? Você é magra.

E nem sempre as pessoas compreendem que ser magro não é sinônimo de ser saudável. Do mesmo jeito que ser gordo não é sinônimo de ser doente. Comecei a praticar esportes aos 6, 7 anos, foi natação, ginástica rítmica, skate, futsal, handebol, dança. Até os meus 18 anos, fui ativa da maneira que podia, diferente de sarada, fitness, saudável, sempre mantive o meu corpo em movimento porque era assim que eu me sentia bem. 

Com a faculdade, estágio, namoro, cursos, a vida foi ficando mais corrida e meu corpo foi entrando em ponto morto, se deixando empurrar pela quantidade de coisas infinitas que eu tinha para fazer. Vez ou outra ia ao parque e nunca mais andei de skate, minha eterna paixão, ou passei uma hora batendo uma bolinha na rua de casa.

E o meu corpo começou a ceder. Primeiro perdi toda a minha musculatura, até toda a minha gordura, e cheguei a pesar 44 quilos. Para quem briga com a balança, deve ler isso e pensar: nossa, que incrível! Mas não foi. Hoje eu tenho noção de que estava doente, pois mesmo não tendo nenhum tipo de anemia, não estava tudo bem pesar tão pouco.

Depois de anos parada, uma querida amiga me chamou para fazer Circo e isso foi uma injeção de alegria na minha alma. Eu me quebrava a cada final de semana e, mesmo com as dores musculares, meu corpo foi ficando mais forte, minha cabeça mais atenta e minha alma mais leve.

Alguns meses depois eu sai da escola de circo, pois precisava diminuir os gastos por causa do apê e o meu corpo voltou para o ponto morto. Depois da loucura que foi comprar e reformar a minha casinha, entrei na loucura de cuidar na casa e trabalhar e comecei a engordar. Foi quando eu me dei conta de que o meu corpo estava se transformando de uma forma que eu não estava gostando.

Acho importante ressaltar aqui e agora que esse texto é sobre mim e sobre o que eu quero para MIM, ok? Não quero fazer apologia ao corpo perfeito, nem dizer que você aí que está lendo precisa ter um corpo "assim" ou "assado".

Bom, dito isso, a flacidez, a barriga saliente, as celulites, o sedentarismo, começaram a me incomodar. Eu sabia que poderia ser melhor do que estava e comecei a procurar alternativas. A alimentação foi a primeira de todas, cortei frituras, refrigerantes, troquei o arroz e as massas pelas versões integrais, cortei suco de caixinha, parei de comer salgadinho e cookies de lanche da tarde.

Depois disso fazer um pouco de diferença no meu bem estar, passei a dançar kinect na sala de casa e isso começou a fazer diferença no meu corpo, até que a Vanessa (se você me segue nas redes ou acompanha o blog faz tempo, sabe que ela é figurinha carimbada por aqui, se não, é uma amiga do trabalho de quem eu gosto muito!) me desafiou a fazer exercícios todos os dias usando o app Sworkit. (essa semana vou fazer um post somente sobre ele, mas calma, não vou virar uma blogueira fitness!).

Foi aí que eu comecei a sentir meu corpo respondendo. Parei de ficar ofegante quando subia lances de escadas, comecei a afinar um pouco, me sentir menos inchada, ter mais disposição. Isso e o incentivo de três amigos queridos me convenceram de que estava mais do que na hora de ir para a academia mais próxima. (Tato, Van e Vini obrigada pelo incansável apoio e incentivo, vocês são meus musos fitness do coração).

Finalmente me inscrevi numa academia e estou treinando. Mas esse post não é para falar sobre treinos, sobre como agora eu vou virar uma musa fitness e conquistar o mundo com a minha bunda sarada. Não. O que eu quero dizer com tudo isso que eu escrevi aqui, é que o importante é buscarmos ser sempre uma versão melhor de nós mesmos. 

Quando colocamos o corpo em equilíbrio com a alma, respondemos melhor aos empurrões e trancos que o universo dá. Não existe uma fórmula para se tornar a nossa melhor versão. Não posso chegar aqui e dizer: façam o mesmo que eu. Esse foi o meu caminho, mas existem tantos outros a serem explorados.

O ponto é que ser a nossa melhor versão é se olhar no espelho e gostar de quem a gente é, da nossa personalidade, do nosso caráter, do nosso corpo, do nosso estilo. De tudo aquilo que somos. Se você me perguntar se eu já alcancei o meu objetivo físico, eu vou te responder: ainda não. Mas se você me perguntar se eu já gosto mais de mim agora?

Eu vou te responder que hoje eu sou a minha melhor versão, mas amanhã eu posso ser melhor ainda. Por isso te convido a experimentar também. Juntos somos melhores e mais fortes!



quinta-feira, 31 de março de 2016

IMPERFEITA


Me olho no espelho e me amo. Tenho manchas de espinhas, olheiras escuras e olhos caídos. Minhas sobrancelhas nunca parecem estar feitas e nem sempre meu buço está em dia. Me olho no fundo dos olhos e vejo pintinhas escuras na minha íris. Íris castanha clara, com um contorno castanho escuro. Olho mais um pouco e vejo mais. Me vejo por dentro.

E as pequenas imperfeições no meu rosto se tornam pano de fundo.

Vejo o universo de sentimentos, experiências e expectativas que sou e me dispo diante de mim mesma. Não preciso mentir para quem eu vejo no espelho. Mesclo orgulho e raiva para servirem de combustível para meus objetivos e conquistas. Pareço confiante e sedutora, mas só quero ser aceita e querida. A insegurança de ficar sozinha na vida é aterrorizante demais, mas não diga que vai me prender, isso me sufoca e vai me matando um dia por vez.

Em dias intensos, tenho vontade de me jogar e beber até cair desmaiada. E o faço. Vezes sinto vergonha, onde estava com a cabeça? O que os outros vão pensar de mim? Mas aí tenho um estalo e me aceito assim, entendo que precisava transbordar os sentimentos, que eram muitos, para ficarem dentro do peito. Falo alto. Grito. Dou gargalhadas. Choro. Nenhum sentimento é fraco demais para ficar escondido. A transparência faz com que eles saiam sempre, fiquem em evidência sempre. Não consigo esconder nada. Nem de mim, nem dos outros.

Depois de tantos anos desequilibrada, procuro balancear a vida, acertar os eixos, ter mais empatia, mais maturidade, lidar com os problemas com sabedoria. Mas no fundo eu só queria agir como uma adolescente irresponsável e fazer o que tenho vontade, lá no fundo. Fazer todas aquelas loucuras que ouço as minhas amigas me contarem, aquelas que eu nunca vivi. Me comporto como se soubesse muito bem o que fazer em todas as situações porque esperam isso de mim. A verdade é que eu também estou confusa e perdida e em dúvida. O tempo todo.

Ah! A dúvida. Sentimento latente, que cresce silencioso e vira turbilhão na minha vida. A dúvida de estar no caminho certo. De estar feliz. A dúvida é uma das minhas piores inimigas, sempre. Ela me sabota. Só não me sabota mais que o medo. Ainda nos meus 15 anos, me achava puramente corajosa, destemida, aventureira. Aos 25 já não tenho tanta certeza se tenho o desprendimento necessário para me jogar. O medo me trava. Sufoca. 

E são nessas pequenas imperfeições que me encontro completa, nelas que eu vejo o tempero da minha personalidade. Eu nada seria sem os meus defeitos, por isso me aceito e me amo assim. O resto é só propaganda enganosa.

quinta-feira, 10 de março de 2016

OLHÃO PRETO PARA BALADA


Toda amante de maquiagem é louca por olhão preto, mas é uma das maquiagens mais chatas de se fazer, afinal é maior lambança sempre! Então, pensando na temporada de formaturas (e nas baladas nossas de toda semana), resolvi produzir um daqueles tutoriais facílimos, para pessoas reais reproduzirem! Juro juradinho que é fácil, mas é preciso treinar sempre, ok?


Ficou querendo aprender?? Então dá um play e arrasa <3


Vocês viram que o segredo, mais uma vez, está em esfumar bem, com a mão bem levinha e fazendo movimentos levemente circulares, né? Então bora treinar para ficar todo mundo muuuuito gata na balada, com a make maravilhosa e poderosa!

Produtos usados:

Base Skin Perfection Eudora Compacta - cor Bege Médio
Pó Compacto ProFinish #128 Make Up For Ever
Paleta de Corretivos MAC
Primer Stay Don't Stray Benefit
Paleta de Sombras Warm Neutral MAC
Paleta de Sombras Naked 2 Urban Decay
Lápis de Olhos Pérola Negra, Pausa para Feminices TBlogs
Máscara para cílios Escândalo quem disse, berenice?
Blush Nars Unlawfull
Batom Glinda, Pausa para Feminices TBlogs

Gostaram?




quarta-feira, 9 de março de 2016

LOOKS ACUMULADOS

Oie!

Esses últimos dias fiz a maluca e esqueci de publicar vários looks que usei para trabalha, lá na fanpage do blog! Então vou coloca-los por aqui mesmo, para não ficarem perdidos :) Não tenho muito o que falar deles, afinal eu sempre conto uma historinha no dia que publico, pois a ideia sempre está fresca na cabeça! Me desculpem não ter muito o que dizer!





Uma coisa que tenho notado em meus looks é uma pegada mais basiquinha/minimalista. Acho que tenho facilitado mais 



terça-feira, 8 de março de 2016

PAPEL DE TROUXA NUNCA MAIS

Quem nunca fez papel de trouxa na mão de outra pessoa?

Quem nunca se frustrou e se decepcionou com as atitudes de outras pessoas?

Hoje o vídeo é para você, que não quer fazer papel de trouxa nunca mais.


Sei que muitas pessoas não conseguem assistir no trabalho, mas ouçam depois, com calma! Essa é uma nova proposta que vou trazer para cá, uma forma de reflexão de como a gente leva a vida e como a vida nos leva! Espero que gostem :)

segunda-feira, 7 de março de 2016

RESENHA: BASE + CORRETIVO PHEBO DE COR ADAPTÁVEL



Ganhei essa base da Phebo no kit de produtinhos que a Bru Tavares distribui em todas as turmas de seus cursos da Escola Madre (Ainda não conhece o projeto? Ela fala sobre eles aqui!). Ela, maravilhosa que só, sempre fecha parcerias com as marcas para ter produtos incríveis e de qualidade para as alunas que fecham o curso. (mas eu fui como convidada!)

Enfim! Como dizia, essa base da Phebo estava no kit e o tom é um pouco mais claro que a minha pele, na cor Areia, porém a marca diz que a cor é adaptável, então usei mesmo assim. Ela é 2 em 1: corretivo na parte de cima e base na parte debaixo e, mesmo sendo uma base líquida, ela é bem firme, como podem ver na foto!

A embalagem é pesada e o vidro é opaco, achei de muito bom gosto, afinal embalagens bonitas são sempre bem-vindas para quem coleciona maquiagem. Agora vamos ao teste!



Aqui sou eu com a pele totalmente limpa e sem produtos. Estava na TPM quando fiz essas fotos, então é possível notar como minha pele fica nessa época (eu não tomo anticoncepcional, logo, os hormônios gritam em forma de espinhas no meu rosto!)


Já nessa foto, estou com a base e o corretivo aplicados. Pontos positivos: a base realmente se adaptou ao tom da minha pele, não ficando tão diferente do tom do meu colo. Não considero os ombros porque eles tomam mais sol e vivem pretinhos! Essa base tem uma cobertura hiper leve e fica, então ela não esconde tanto as minhas pintinhas e espinhas, mas é confortável e sedosa. O corretivo é a melhor coisa do produto em si, pois consegue disfarçar minhas olheiras. Porém ela tem alguns pontos negativos: Ela é rala, apesar de ser consistente. Ela espalha bem, porém se você colocar no rosto e demorar para espalhar, ela começa a secar rapidamente, manchando na pele. Essa base tem uma textura tão leve, que chega a desmanchar na pele. E acontece isso aqui:


Acho que dá para ver que ela não aderiu totalmente à minha pele. Vejam que ela fica falhada em vários pontos, como se a minha pele estivesse ressecada (e não estava). No dia do curso ela também ficou assim e não encontrei uma forma de usa-la sem ficar assim, estranha. Apliquei com duo fiber e com aquela beauty blender da Kiss NY e não teve um bom acabamento. Acho que o pior de tudo é que, conforme o tempo vai passando, ela vai ficando pior na pele e não faz valer o investimento.

Ela custa R$133 reais e, até onde eu sei, isso é muuuuito dinheiro para pagar numa maquiagem que é para ser a nossa salvação, e não a nossa derrota! Então, se vocês estiverem pensando em comprar esse produto, acho válido ir na loja, testar no rosto e dar uma volta para ver como ela vai reagir na pele de vocês, que na minha foi só decepção! :(


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

LOOKS NO ESPELHO #17 - ANTIGOS

Primeira leva de looks a serem registrados! Ainda com os cabelos mega longos!!!


Sapatilha Spot Shoes R$20 | Skinny Forever 21 R$70 | Blusinha Forever 21 R$28 | Bolsa Mulher Maravilha Menina Mah R$95


Tênis Pool Riachuelo R$80 | Skinny Forever 21 R$70 | Jaqueta Jeans Forever 21 R$115 | Camisetinha Forever 21 R$40 | Bolsa Mulher Maravilha Menina Mah R$95


Tênis Pool Riachuelo R$80 | Meia Calça Lupo '50 R$19 | Bermuda Canal (comprada em brechó) R$15 | T short Wolverine Riachuelo R$30 | Bolsa Capitão América Menina Mah R$150


Tênis Vans na Maze Shop R$160 | Jeans Forever 21R$60 | Tricô Forever 21 R$100 | Bolsa Capitão América Menina Mah R$150



All Star (esqueci quanto paguei e o nome da loja kkk) | Skinny Forever 21 R$70 | T shirt C&A R$30 | Cardigã C&A R$50 | Bolsa Capitão América Menina Mah R$150

<3

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

LOOKS DA SEMANA - #1

Oi pessoal, tudo bem?

Há algumas semanas comecei a publicar meus looks diariamente lá na fanpage (já segue? é https://www.facebook.com/pitadadeestilo/), afinal nada melhor do que publicar em tempo real aquilo que a gente escolhe usar a cada dia, né?

E decidi que iria armazená-los por aqui também, pois depois de todos esses anos, virou um hábito! Tenho também mais uns 10 posts de looks antigos para liberar, mas como são MUITO antigos, estou achando que só vou dar os créditos das peças e liberar para "consulta" e inspiração. Melhor do que eles ficarem lá, jogados para sempre no esquecimento! 

Antes que meus looks diários também caiam no limbo do blog, aqui vão os looks da primeira semana de registro:


O tempo em SP estava muito instável no começo de janeiro, coisa de maluco, nem parecia alto verão. Então tive que usar blusa de manga comprida e galocha nos dias de chuva! Essa galochinha do amor é da Cherry by Boa Onda, era louca numa e vi essa na promoção no site da Dafiti e resolvi comprar. Porque estava baratinha e porque é um coturno de florzinhas, quer mais amor que isso? Já a bolsa... Me arrependo profundamente dela e vou dizer por quê: deixei de comprar uma bolsa pelo dobro do preço na Marisa, porque era mais cara, e comprei essa numa lojinha popular da Lapa. Ela é super fofa, mas a alça já está quase estourando. Vou ter que levar num sapateiro para ver se tem como consertar/reforçar a alça, afinal ela não foi tão baratinha assim. Mega chateada!


Esse look eu montei numa tentativa de ficar estilosa mesmo com o tempo porcaria que tem feito! Acontece que a minha vida fashion se resume, basicamente, em: me encher de roupa até parecer um esquimó, ou: ser piriguete e usar vestidinhos, bermudinhas e croppeds (amo calor de verdade e amo usar essas roupitchas). Daí, quando faz esse tempo que não é nem quente, nem frio, mas chove, eu preciso bolar looks que eu não passe frio, nem calor, mas também não me molhe. COMPLEXO. Eu sei! Bom, nesse caso, combinei minha camiseta masculina da Forever 21, com a legging da Marisa e fiz esse estilinho de moderna.


Tenho andado numa fase ~conforto~ e fico numa birra sem fim de usar calça jeans, então vira e mexe eu faço alguns looks que não gosto muito, usando legging e calça larga. Mas esse até que serviu, ficou bonzinho, mas não é o meu favorito dessa leva!


Do mesmo jeito que em alguns dias eu tenho 0 criatividade para me vestir, em outros eu tenho uma tonelada dela! Confesso que não acordei pensando nesse look, mas ele saiu tão naturalmente quando o montei, que pareceu que ele estava lá esperando para ser montado desde sempre. Comprei essa camisa na Forever 21 por R$35 reais e só tinha usado uma vez (inclusive, o look não saiu aqui ainda!), então aproveitei a calça de cintura altíssima da Youcom (elas são realmente altas!) e misturei com a camisa, que é cropped. O restante eu fui incluindo para fazer charme, o tênis, o chapéu e a jaquetinha bomber! Deu certo e eu fiquei orgulhosa!


Esse foi o look ~RAISSA~ que usei num dos dias. Raíssa é uma das minhas amigas mais estilosas, daquelas que a gente olha e diz: caralho, queria ser gata e estilosa assim! Eu não tive a intenção de me parecer com ela, fui montando o look conforme as peças faziam sentido umas com as outras, mas depois de fotografar, editar e publicar a foto eu não me via, mas via Raíssa. Bizarro! HAHAHAHAHAHA Mas é fato que nosso subconsciente guarda memórias fotográficas de nossas referências e isso, de alguma forma, volta para o consciente como se fosse algo "espontâneo". E, de verdade, eu acho isso o máximo! A nossa cabeça é muito doida, né? Por isso que é importante ter referências: ler, pesquisar, ver inspirações no Pinterest. Tudo isso ajuda a nossa mente a formar looks melhores e, ainda de quebra, conseguir parecer com as pessoas que admiramos!

Obrigada por lerem até aqui, depois tem mais!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...