quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Diário da Blogueira: as linhas que nunca preenchi

Eu nunca sei o que escrever numa agenda. E mesmo que escreva, depois não sei o que fazer com aquelas informações.

Desde sempre achei o máximo aquelas primas que tinham diário e escreviam nele todo santo dia, e também aquelas que tinham as agendas mais legais, coloridas e com adesivos bonitos e nas agendas tinha data de prova, entrega de trabalho, ingresso da tarde de cinema com as melhores amigas, papel de bala do gatinho da escola.

O máximo que eu tive foram cadernos velhos com jogadas palavras aleatórias sobre coisas que nem eram segredos, nem eram provas de final de ano. Eram apenas palavras, sem apelo estético. Sem palavras codificadas para esconder meus mistérios de menina.

Eu nunca consegui alimentar nada disso. A ironia talvez seja que hoje eu tenha um blog e alimente isso.

Mas na verdade eu sempre invejei a organização daquelas primas, a organização com suas memórias, com suas responsabilidades de gente criança, com suas paixonites descritas ali naquelas páginas que eu nem cheguei a ler. Eu só pude me contentar com as embaralhadas lembranças e datas na minha cabeça.

A verdade é que eu nunca fui boa em alimentar textos escondidos. Em me prender em calendários exatos. Me regrar pelas linhas de um caderno timbrado.

Eu sempre fui essa confusão certeira, com memória de leão e de peixinho dourado ao mesmo tempo. Com exatidão para algumas coisas e extrema distração para outras. E talvez seja por isso que eu precise de alguém para ler meus mistérios e acompanhar minhas memórias. O caos que habita em mim não gosta do escuro, do segredo. Por essência, ele gosta do próprio caos.

Look do dia: o básico que eu prefiro

Vira e mexe encontro fotos de looks perdidos na memória do computador. Acho que toda essa correria que tem sido a minha vida, me fez ficar um pouco relapsa. Mas tudo bem, venho aqui e posto, afinal o importante mesmo é mostrar as combinações que faço com meu guarda-roupas, né?

Lembro bem do dia que usei essa roupa. Estava calor, mas não muito, então levei a jaqueta bomber para colocar nas horas de ar condicionado gelado e também no fim do dia, caso esfriasse. Bom, apesar das cores e do dourado, esse é meu look do dia básico, diferente do jeans+tshirt+sapatilha.

Acho que quando caímos nesse básico que citei acima, o comum fica muito mais evidente, eu não me sinto tão bem com essa combinação, eu uso quando rola aquela HIPER preguiça , tipo em dias de TPM, mas não é aquele look que eu uso e digo: beleza, mesmo básica essa sou eu.




Já no caso dessa combinação eu me sinto arrumada, mas básica, sem penduricalho ou combinações ousadas/perigosas. Só normal. Isso faz parte de uma evolução, de um amadurecimento dentro da minha própria personalidade. A gente passa a se entender melhor, ver o que funciona, ou que não dá certo e assim a gente vai ficando mais criativo nos looks, mesmo que eles nos pareçam básicos e fora do comum, ao mesmo tempo.

Creeper Spot Shoes R$30 | Skinny Renner R$70 | Regata Têxtil Abril R$13 | Jaqueta Bomber Brás R$18 | Bolsa Carteiro Renner R$ 80
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...