segunda-feira, 17 de junho de 2013

Diário da blogueira: O Gigante não está mais adormecido

Sei que estão correndo textos e mais textos pela web falando sobre todas as manifestações e protestos que estão acontecendo pelo país. No meu caso, acabo vendo muitos depoimentos e afins sobre as manifestações de SP, afinal é a minha cidade, entretanto acompanho as movimentações de todos os outros estados.

Meu interesse pelo social surgiu quando eu era muito nova e sempre me preocupei em me informar e conhecer realmente o que era política, sociologia, a história do Brasil e muito sobre os movimentos sociais. Um pouco depois da criação do blog, em 2011, consegui um estágio de jornalismo na UNE (União Nacional dos Estudantes) e fiquei lá por quase um ano.

Vi de perto as pessoas que escolhem viver todos os dias para lutar pela a educação. Além de ver também como eles apoiam causas justas e abrem mão de muitas regalias para viver disso. Enfim. Com tudo que está acontecendo, queria registrar aqui que eu acredito que seja um momento bom para o país e, principalmente, para a sociedade. Há muito tempo sabemos que o povo tem força, mas demoramos muito para acordarmos para essa realidade.

Hoje me lembrei de uma propaganda que foi veiculada há mais ou menos um ano, e gostaria de compartilhar para inspirar outras pessoas, pois ela é muito conveniente.


Leiam o texto que a acompanha:
"No início dos tempos, na parte sul das Américas, habitava um gigante. Um dos poucos que andavam sobre a Terra. Gigante pela própria natureza, e sendo natureza ele próprio, era feito de rochas, terra e matas, que moldavam sua figura. Pássaros e bichos pousavam e viviam em seu corpo e rios corriam em suas veias. Era como um imenso pedaço de paisagem que andava e tinha vontade própria. Caminhava com passadas vastas como vales e tinha a estatura de montanhas sobrepostas. Ao norte, em seu caminho, encontrava sol quente e brilhante nas quatro estações do ano. Ao sul, planaltos infindáveis. A oeste, planícies e terras cheias de diversidade. E a leste, quilômetros e quilômetros de praias onde o mar tocava a terra gentilmente, desde sempre. Havia também uma floresta como nenhuma outra no planeta. Tão grande, verde e viva que funcionava como o pulmão de todo o continente à sua volta.
Mesmo diante de tudo isso, um dia, enquanto caminhava, o gigante se inquietou.
Parou então à beira-mar e ali, entre as águas quentes do Atlântico e uma porção de terra que subia em morros, deitou-se. E, deitado nesse berço esplêndido, olhou para o céu azul acima se perguntando: "O que me faz gigante?". Em seguida, imaginando respostas, caiu em sono profundo. Por eras, que para os gigantes são horas, ele dormiu. Seu corpo gigantesco estirado, o joelho dobrado formando um grande monte, uma rocha imensa denunciando seu torso titânico e a cabeça indizível, coberta de árvores e limo. Dormiu até se tornar lenda no mundo. Uma lenda que dizia que o futuro pertencia ao gigante, mas que ele nunca acordaria e que o futuro seria para ele sempre isso: futuro. No entanto, com o passar do tempo ficou claro que nem mesmo as lendas devem dizer "nunca". Depois de muito sonhar com a pergunta sobre si, o gigante finalmente despertou com a resposta. Acordou, ergueu-se sobre a terra da qual era parte e ficou de frente para o horizonte. Tirou então um dos pés do chão e, adentrando o mar, deu um primeiro passo. Um passo decidido em direção ao mundo lá fora para encontrar seu destino. Agora sabendo que o que o faz um gigante não é seu tamanho, mas o tamanho dos passos que dá."


Depois vou compartilhar mais algumas referências que eu acho válidas. Por enquanto, vamos todos continuar nos mobilizando por um Brasil melhor, por uma cidade melhor. #VEMPRARUA;
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...