segunda-feira, 3 de junho de 2013

Diário da Blogueira: Mudanças

Sempre ouvi que mudar faz bem. E sempre levei o conceito à risca. Sempre tentei seguir o que meus instintos diziam e sempre pensei que mudanças eram as melhores oportunidades da vida. Bom, dessa vez não foi o cabelo, uma peça de roupa ou emprego. E confesso que todas as anteriores são fichinha perto dessa, pelo menos para mim.

Há mais ou menos um mês, um mês e meio combinei com  o TH que iríamos montar nosso enxoval com calma e juntaríamos uma grana para comprar nosso apê no ano que vem. Saibam que cheguei nesse ponto após horas de discussão (amigável, é claro) sobre o nosso futuro. Desde o ano passado que eu queria sair de casa, porém, para uma pessoa normal, não é algo tão simples. Sair da barra da saia da mãe envolve dinheiro, planejamento, dinheiro, muita organização, foco, dinheiro, responsabilidade e um pouco mais de dinheiro. Acontece que eu pretendia até dividir um apê com uma amiga (Beijo Rô), porém a vida é punk para todos nós e não deu.

Então cheguei na conversa com o Thiago e estávamos definidos, confortáveis e decididos. Mas a vida (e as pessoas, porque não) adoram pregar boas peças nos desavisados. Vou ser breve, prometo.

Diante da saúde debilitada do meu avô (ele meu criou), percebemos que a qualidade de vida dele estava caindo muito nos últimos meses. Se entregando à uma depressão mesmo e isso nos preocupou muito. Há uns três meses minha mãe e eu conversamos sobre eles irem morar em Cambuí, nossa cidade em Minas Gerais, e como isso seria bom para eles.

Apesar de achar que seria algo fácil e simples, vi que não é. Passaram-se todos esses meses e o vô já estava bem fraquinho e triste (gente, problema de, e com, família só muda de endereço e de tema, mas todo mundo tem e muito), até que meus primos decidiram, no final de semana passado, levarem minha mãe e o vô para passear em Minas.

Apoiei a iniciativa e disse para a minha mãe procurar casinhas lá, quem sabe ela encontrava algo. E não é que encontrou? Aconteceu tudo de uma maneira tão rápida que nas primeiras 24 horas fiquei engasgada. Com medo. Sem direção. Isso porque, não estava nos meus planos ir para Minas, nem que as coisas acontecessem tão depressa (meu primo queria fazer a mudança no feriado prolongado, pois para completar, ele tem um caminhão!). Com todos esses fatores se juntando, bateu um mini desespero do tipo "E AGORA, MEU DEUS?"

Vamos alugar nossa casa aqui em SP para mandar dinheiro para eles em Minas Gerais e também, nem que eu quisesse, eu ficaria lá. Como disse, problemas de "família". Mas, ainda assim, eu tinha que encontrar um lugar para ficar. Achei até divertido minhas amigas, casadas ou para casar, oferecendo quartinho na casa delas e eu fiquei muito agradecida, porém de um jeito ou de outro, eu precisava de um lar.

Entretanto, com tudo isso, meus planos com o TH foram por água abaixo. Nesses últimos dias (os que eu fiquei sem postar) passei a maior parte do meu tempo pesquisando. Pesquisando apartamento, aluguel, preço de móveis, tudo. Uma piração fora de controle.

Enquanto isso o Thiago conversou com os pais e eles me abrigaram para mantermos o nosso plano de comprar um apartamento, e não sair alugando o primeiro que vier pela frente. Agora estou mais calma e com a cabeça no lugar, pois apesar de não ter o meu próprio lar, eu posso seguir em frente com os meus planos.

Por mais que bata aquela insegurança, e tudo esteja acontecendo muito depressa, é preciso simplesmente se deixar levar e se deixar mudar, afinal enquanto há vida, há movimento.

E, na sexta, acabei tatuando a frase que eu queria tatuar há anos e mais do que nunca se tornou conveniente!


Parafraseando o Forfun, sou "participante ativo da eterna mudança".

2 comentários:

  1. Vai dar certo, amiga.

    Por experiência própria digo que as mudanças mais legais são as mais inesperadas. Fiquei sabendo que ia para o Litoral e me mudei em um mês e foi incrível. Quando fui pra PG idem, uma semana eu escolhi, saí e mudei. Agora tem esse novo plano também de uma hora pra outra. A vida fica mais emocionante assim! BEM MAIS!
    O medo passa depois do choque hehe, mas as delícias de ser o que queremos ser é um presente eterno!

    beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu to torcendo pelo lado positivo o tempo todo, amiga!
      beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...