quinta-feira, 23 de maio de 2013

Glossário de moda: Givenchy Parte II

Até 1973, Givenchy criava roupas femininas e foi nesse ano que ele criou a Gentleman Givenchy. E foi em 1981 que a marca foi vendida para a Louis Vuitton Moët Henessy (LVMH), grupo detentor das maiores marcas de luxo do mundo (o maior grupo, diga-se de passagem).

No ano de 1993, Audrey faleceu de câncer e isso foi o fim para James. Muitos diziam que ele nutria uma paixão platônica pela amiga de tantos anos (mais de 40), e o fato de sua musa inspiradora ter falecido, lhe custou o fim da criação de peças para a Givenchy. Dois anos mais tarde apresentou sua última coleção e anunciou que estava deixando a direção criativa da marca nas mãos de outra pessoa, pois sem Audrey para vestir seus modelos, seus desenhos não faziam sentido.


Após isso, alguns estilistas passaram pela Maison (como o falecido Alexander McQueen), porém somente com a chegada de Riccardo Tisci que a marca retomou o estilo que marcou décadas: elegante, minimalista e espontâneo.

A marca tem forte atuação no ramo de maquiagem, perfumaria e tratamentos cosméticos. Encontrei duas listas bacanas e resolvi reproduzir aqui no blog! (Tirei do site “Mundo das Marcas”).

LINHA DO TEMPO
1970
● Lançamento do perfume feminino GIVENCHY III.
1975
● Lançamento do perfume masculino GIVENCHY GENTLEMAN.
1980
● Lançamento do perfume feminino EAU de GIVENCHY.
1984
● Lançamento do perfume feminino YASATIS, tendo como garota-propaganda a modelo Carla Bruni, atual primeira dama francesa.
● Lançamento de duas linhas esportivas: Givenchy Knitwear e Givenchy Life.
1986
● Lançamento do perfume masculino XERYUS.
1989
● Lançamento da GIVENCHY BEAUTÉ, uma linha de cosméticos e maquiagens; e da SWISSCARE for GIVENCHY, uma linha de produtos para a pele.
1990
● Inauguração da primeira boutique masculina da grife em Paris.
1991
● Lançamento do famoso perfume feminino AMARIGE.
1996
● Lançamento do perfume feminino ORGANZA.
1998
● Lançamento do perfume masculino PI by GIVENCHY.
2002
● Lançamento do perfume masculino GIVENCHY POUR HOMME.
2003
● Lançamento do perfume VERY IRRÉSISTIBLE GIVENCHY, tendo em sua campanha o rosto da atriz Liv Taylor. A versão masculina do perfume seria lançada dois anos depois.
2004
● Lançamento da GIVENCHY Le Makeup, uma linha de maquiagem extremamente chique e moderna com cores inovadoras e novas fórmulas, que permitiam total controle sobre os efeitos na pele.
2005
● Lançamento do perfume feminino MY GIVENCHY.
2006
● Lançamento do perfume feminino ANGE ou DÉMON, personificado pela bela Marie Steiss, filha do ex-primeiro ministro francês Dominique de Villepin.
● Lançamento do perfume feminino ABSOLUTELY GIVENCHY.
2007
● Inauguração do primeiro “Snow Spa” no Hotel Cheval Blanc, em Courchevel, na França, no mês de março. O Spa Cheval Blanc foi criado e projetado por Claude Renaudin e Patrick Ribes. A GIVENCHY é pioneira no mercado, com 15 anos de experiência em spas de luxo, e possui atualmente 6 unidades localizadas nas Ilhas Maurítius (Saint Geran Hotel & Givenchy Spa), São Paulo (Renaissance Spa & Givenchy), Dubai (One & Only Royal Mirage), Cannes (Hotel Martinez & Givenchy Spa), Montreal (Les Trois Tilleuls & Spa Givenchy) no Canadá e Montreux (Mirador Kempinski) na Suíça.
2008
● Lançamento do perfume masculino π NEO, uma releitura do PI, lançado há 10 anos. A embalagem futurista foi criada pelo designer Serge Mansur, que se inspirou na forma de uma pirâmide – o frasco não é exatamente triangular – e sim um quadrado com um corte no meio com um metal prateado nas bordas. O líquido da fragrância tem um tom azul acinzentado e é leve e fresco, além de fixar muito bem na pele.
● Lançamento do perfume masculino PLAY.
● Lançamento do GIVENCHY Le Soin Noir, um novo creme para rejuvenescimento que leva em sua formulação um ingrediente exótico: seiva de alga negra. O produto protege o DNA das células contra a radiação, além de refazer a conexão entre elas, combatendo os sinais de envelhecimento.
2010
● Lançamento do perfume feminino EauDemoiselle, uma nova fragrância dedicada às jovens mulheres, que procurar um perfume sensual e com personalidade.
OBS: Após 2010 já foram lançados muitos outros perfumes, tratamentos e maquiagens incríveis, qualquer dia falo sobre eles!


OS ÍCONES
Givenchy é considerado um dos nomes mais importantes e influentes que a moda já conheceu, deixando um legado de sofisticação e inovação como:
● A blusa Bettina (inspirada em sua principal modelo, Bettina Graziani), camisa branca com babados nas mangas, e peças coordenáveis.
● O pretinho básico de corte reto, usado por Audrey Hepburn em Bonequinha de luxo.
● O vestido “chemisier” em forma de saco, largo na parte superior e justo na bainha, lançado em 1955.
● Vestidos tipo envelope, transpassados, em 1966.
● O famoso logotipo da grife, chamado de 4G (pois é composto por quatro letras G) foi criado em 1970


  • Liv Tyler foi garota propaganda do perfume Very Irresistible Givenchy (e todas as suas versões até então) por muitos anos e também foi a "cara" de muitos looks especiais da linha de maquiagem. Agora quem está em seu lugar é a Amanda Seyfried, a Cosette de Les Miserables :).


E o James? Continua vivo, morando em Paris, cultivando seu gosto pelo paisagismo, montando lindos jardins. Um velhinho simpático!
“Sucesso não é prestígio. O sucesso é passageiro, o prestígio é outro assunto. Ele persiste depois da gente. É preciso trabalhar para não ter trabalhado em vão”.
James de Givenchy

terça-feira, 21 de maio de 2013

Dicas: Bar Pirajá

Eu tenho que confessar. Adoro um boteco. Adoro a comida, o clima, as bebidas. Porém, quando o boteco tem um "quê" de especial, ai eu apaixono. Foi isso que aconteceu quando visitei o Pirajá. Ele fica ali em Pinheiros, na Av. Brigadeiro Faria Lima, 64 (é beeem em Pinheiros ainda, perto da Avenida Pedroso de Morais), e é todo inspirado no clima do Rio de Janeiro (tanto que algumas pessoas o conhecem por "Carioca").

O estilo é imponente e oitentista, um visual bairrista de boteco que a gente visita todos os finais de semana. O que me despertou a atenção sem sombra de dúvidas foram os quadrinhos espalhados pela parede, cada um com uma fotografia ou gravura diferentes, umas bem antigas. Outras, páginas de revistas. O bar é premiado como um dos melhores de São Paulo, então não é só uma indicação minha, rsrs


Quando chegamos, era mais ou menos 19:30 e estava lotado, muita gente sai do escritório e vai para lá, mas eles foram muito atenciosos conosco. Atendimento para mim faz toda a diferença no role. Se você me colocar para esperar, mas me atender bem, eu espero por horas. Enfim. Sentamos no balcão e começamos a beber e comer ali mesmo, afinal se estamos na chuva é para nos molharmos, não acham? Bom, outra confissão. Adoro chopp/cerveja. Não sou muito beberrona, mas me ofereça uma bebida e eu vou aceitar, rsrsrs

Sei que foi o melhor chopp que já tomei, sem sombra de dúvidas. Já tomei alguns bons chopps, mas o deles é saboroso. E a coxinha? Impressionante também. Acho que se você for no Pirajá, você deve comer a coxinha e passar mal comigo, de tanto amor. Como sentamos e nos deixamos levar, logo chegou a nossa vez de ir para uma mesa mais aconchegante. Mudou de garçom, porém continuou com muita qualidade.

Depois comemos um dos files que eles servem (é uma carne deliciosa, que se você quiser vem picadinha, com uma porção de fritas).




Como fomos numa terça, véspera de feriado, não ficamos muito, afinal teríamos que voltar de ônibus, mas ainda sim, deu para aproveitar bastante. Há poucos dias nos encontramos na estação de trem de Pinheiros (o Th trabalha lá perto) e estávamos indo para o ponto de ônibus para ir embora, entretanto pensamos: "Ah, hoje é sexta, vamos lá no Pirajá" e fomos, estava do lado.

Como já tínhamos provado um prato, resolvemos pedir coisas diferentes. Tomamos capirinhas (a minha foi de Kiwi e a dele foi uma especial da casa) e elas são muito grandes e gostosas, pedi de saquê e estava ótima e docinha. Para comer pedimos uma porção de filé, mas ela vinha com batatas por cima e um molho inexplicável. Sei lá do que era aquele molho, só sei que era D I V I N O. Juro. Comemos até não aguentar mais (serve umas três, quatro pessoas com gostinho de quero mais) e ainda tomamos uns chopps para não perder o hábito.

Porém novamente, iríamos embora de ônibus (nunca saímos para beber de carro, tem que ter cuidado né gente), então quando eram umas 21:30 fomos embora. Levando em consideração que chegamos umas 19:30, ficamos um bom tempinho, mas eu estava caindo de sono, e o Th também, então o horário estava ok.


Eu gosto de ir em lugares assim, pois mesmo com alguns valores elevados (as capirinhas giram em torno de R$17 e as porções em torno de R$40, já os chopps são R$5 reais) eu curto bastante, o clima é agradável, o atendimento é ótimo e nada deixa a desejar, tudo vale o que custa. É frequentado basicamente por quem trabalha ali na região, mas é possível ver que não há distinção entre as pessoas, afinal tinha famílias com crianças pequenas lá. Ou seja, super de boa mesmo. E tem mesinhas na parte de fora, para quem fuma. E para quem não liga para fumaça, é claro!

Eu vou voltar lá logo e se vocês forem, me chamem! Se gostarem de posts assim, posso indicar outros lugares! 

Pitada de Beleza: Sombra Panvel

Comprei essa sombrinha junto com os itens que já comecei a mostrar aqui no blog, lá no site da Panvel, ela foi super baratinha, algo em torno de R$5,00 reais. Escolhi essa cor mais clarinha, pois achei bonitinha e estava curiosa para saber se ela se tornaria a minha nova favorita sombra para iluminar.
 



Se não me engano o nome dela é Marshmallow e ela é um tom de creme, puxado para o cinza. Ela é bem esfarelenta, achei um pouco difícil para trabalhar, entretanto nos olhos fica bem bonita, vejam.


Não é uma sombra para se usar sozinha, claro, porém é bem legal ara maquiagens diurnas, não acham?

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Glossário de Moda: Givenchy Parte I

Há quase um ano, quando ainda trabalhava na editora, eu tinha tempo de sobra para redigir longos e demorados posts sobre história da moda. Confesso que sinto falta, pois sempre fui apaixonada por história em geral e principalmente por história da moda e não conseguir me organizar para fazer esses posts foi me deixando bem desanimada.

Claro que nesse meio eu tive oportunidades para escrever e tudo mais, porém acredito que não era a hora, afinal nunca mais havia sentado de fato para fazer pesquisa e preparar nada para os glossários e tags de inspiração. Até que de algumas semanas para cá eu pensei bem e achei que devia de retomar esse lado meu, nerd.

Lembro de ter organizado uma planilha com muitos temas e assuntos que eu gostaria de abordar no Pitada de Estilo, mas isso tudo se perdeu quando entrei na agência. Muita coisa se perdeu, para que outras se encontrassem (e ainda estão se encontrando).
Para marcar meu retorno para os posts nerdões, eu vou contar a história de uma das marcas mais luxuosas do mundo. A Givenchy.

Muitas das grandes grifes de luxo do mundo hoje, começaram no quintal dos fundos, ou para completar a renda de famílias pobres, mas no caso de Givenchy, a figura foi um pouco diferente. Hubert-James Marcel-Taffin Givenchy se interessou pela moda ainda criança, após visitar uma exposição com os mais famosos estilistas franceses, aos 10 anos. Quando completou 17 anos foi para a Escola de Belas Artes contrariando as vontades da família, que queria que ele se tornasse advogado.


De família aristocrata, tinha a elegância em seu sangue e passou a criar um estilo equilibrado, requintado, sofisticado e extremamente perfeccionista. Não demorou muito para que fosse notado por outros estilistas, tendo atuado como assistente de Jacques Fath, Robert Piguet, Lucien Lelong, ao lado de Pierre Balmain e Christian Dior, e braço direito de Elsa Schiaparelli.

Foi em 1952 que abriu sua primeira maison no número 8 da rua Alfred de Vigny, na Monceau Plain, em Paris. Todos ficaram admirados com tamanho talento e o reconhecimento foi imediato. Foi nesse mesmo ano que Givenchy apresentou sua primeira coleção de alta- costura, marcada pela blusa “Bettina”, nome de sua principal modelo e relações públicas da marca.

Porém foi em 1953 que o estilista conheceu sua grande musa inspiradora, Audrey Hepburn. Givenchy esperava uma modelo para se tornar garota propaganda da marca e a pessoa que havia sido indicada não pode comparecer, então Audrey foi em seu lugar. O que resultou desse encontro foi uma longa amizade entre os dois, além dos holofotes da moda e do cinema.



Também em 53 que Givenchy encontrou Cristóbal Balenciaga e revelou que ele foi seu grande mestre, influenciando muitas coleções com o estilo minimalista das roupas.

O que mais gosto em Givenchy é a mistura do elegante e requintado com o espontâneo o real. Foi isso que me conquistou no trabalho do estilista. Continuando, em 1957 ele resolveu criar um cheiro para o estilo Givenchy e foi assim que surgiu a primeira criação da marca, Le De, porém o primeiro perfume LANÇADO da marca foi o L’Interdit.

Acontece que James queria batizar o perfume com o nome de Audrey, entretanto ela não queria assinar nada com seu nome, afirmou que usava as roupas do amigo, porém não aceitava associar seu nome à marca dessa maneira, por conta disso ele batizou o perfume de “O Interditado”, para brincar com o fato dela ter vetado a ideia inicial.


Após a criação desses perfumes muitos outros foram criados e o mais divertido é a história de cada um, afinal cada um é para uma situação e pessoa diferentes.

Continua.

Tutorial em fotos: Maquiagem para o dia dia

Sempre quando temos um dia cheio de trabalho, ou até mesmo uma ocasião importante, como uma reunião ou um almoço, é preciso estar com a aparência boa, entretanto de maneira discreta. Não adianta dizer que não, se você aparecer afundada nas olheiras numa reunião, todos irão achar que você não está nadinha bem!

Pensando nisso, bolei um tutorial simples em fotos, para vocês se arrumarem mesmo nos dias em que a preguiça estiver grande! Vamos lá?!


1- Uniformize sua pele com uma base de cobertura média, é melhor para o dia a dia. Aproveite e use um com corretivo nas olheiras para não ficar com aparência de cansada/doente.
2 - Marque o seu côncavo com uma sombra marrom opaco. Usei um pincel esfumador para ficar suave.
3 - Esfume bem.
4 - Aplique uma sombra em tons marrons acobreados com cintilância por cima. Não é problema usar cintilância durante o dia, desde que dosada.
5 - Aplique uma sombra champagne do meio do olho para o canto interno. Escolhi uma sombra cremosa e à prova d'água para durar o dia inteiro.
6 - Pegue um pouco mais de marrom para esfumar e juntar as cores clara e escura.
7 - Ilumine o canto interno com uma sombra clara.
8 - Faça um delineado fino e curto. Ensinei a fazer delineados aqui.
9 - Aplique lápis bege na linha d'água inferior. Para iluminar e abrir o olhar.
10 -  Corrija a sobrancelha com lápis ou sombra.
11 - Aplique máscara incolor na sobrancelha para deixá-la arrumada o dia inteiro.
12 - Apenas com uma sujeira de sombra clara, ilumine abaixo da sobrancelha.
13 - Para aplicar blush e marcar as maçãs do rosto, sempre meça com dois dedos a partir do nariz.
14 - Aplique um blush rosado para dar um ar de saúde. Complete com bastante máscara para cílios.


Como a maquiagem fica neutra, você pode escolher qualquer tom de batom. Eu normalmente uso vermelho ou laranja no meu dia a dia, porém para essa maquiagem escolhi um rosinha, para manter a maquiagem neutra e discreta, apesar de elaborada.

O que acharam?!

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Nota de Esclarecimento


Senti necessidade de fazer uma nota de esclarecimento sobre os últimos acontecimentos. Quem acompanha o blog há um tempo sabe que descobri recentemente que existe um homônimo do Pitada de Estilo na internet. Na ocasião eu fiquei extremamente chateada e revoltada e fiz um post, que está aqui. Confesso que na ocasião fiquei muito brava, porém com o tempo e a consciência de que a ideia era minha (e de que era autêntica) resolvi seguir em frente.

Antes de decidir seguir em frente, mandei uma mensagem para uma das donas do blog querendo esclarecer e resolver. Isso porque eu já sabia que ter dois sites com o mesmo nome poderia ser prejudicial para ambos. Ninguém me respondeu ou sequer quis conversar. Pelo contrário. A resposta foi em forma de post e até então eu só pude contar com o irônico texto, pois para mim ele é irônico (e ainda está lá).

Há menos de uma semana um rapaz, que nunca vi, entrou em contato comigo pelo Facebook dizendo que agora administraria uma parte do blog com as meninas e que elas não tinham visto minha mensagem, por isso nunca me responderam. Entretanto, acredito que se não tivessem visto a mensagem e se nem conhecessem/acessassem o meu blog, não teriam por que fazer um texto sobre o assunto. (A menos que sejam pessoas mediúnicas e tenham psicografado tudo).

E, após algumas trocas de mensagens, a sugestão chegou. Vender o meu domínio para eles. Entretanto, combinemos que não se trata de um domínio. Se trata de uma ideia e de alguns anos de dedicação. De uma forma ou de outra, sei que entraram em contato comigo tão somente porque fazem o blog para gerar receita (isso foi assumido por eles) e muito provavelmente a existência de outro blog “Pitada de Estilo” deve prejudicar em algo o site deles (talvez com anunciantes, não sei).

Após a tentativa educada do rapaz, decidi escrever isso e fixar no blog para, caso alguém acesse o outro blog e fique confuso, já tenha todas as informações reunidas aqui. Já esclareço que: 1) não tenho intenção de vender o meu domínio. 2) não tenho intenção de mudar o nome do blog e 3) vou continuar seguindo minha vida.

Soube que uma das donas está irredutível sobre o nome do blog e que a intenção deles é tão somente gerar receita, então eu espero que em algum momento eles entendam como funciona um blog e os princípios éticos sobre publicidade, direito de imagem, direitos autorais e afins.

Para os leitores do Pitada de Estilo original e primeiro, e a quem possa interessar, esse não é um blog com fins comerciais e NÃO tem posts financiados. Como já afirmei, não fecho essa possibilidade para o meu site, porém não é meu foco nem meu interesse no momento. 

Agradeço a quem sempre comparece e acessa e também às amigas que sempre me apoiam. Na semana que vem os posts voltarão ao normal. Milhões de abraços.


segunda-feira, 13 de maio de 2013

Pitada de Beleza: Aqua Brow - Make Up For Ever

Dos muitos itens que estão na minha maleta e não largo, estes são alguns deles, os Aqua Brow da Make Up For Ever. São corretivos à prova d'água para as sobrancelhas e eles, além de mega pigmentados, não saem por nada nesse universo. Só mesmo com um bom demaquilante. Eu gosto muito de usar sombras opacas acinzentadas e até mesmo lápis, porém quando se trata de maquiagens para a noite inteira, aposto no uso desses produtos.


Confesso que se eu não fosse maquiadora profissional, não os teria. E vou contar porque: São produtos difíceis de lidar e por mais que tenham opções de cores, você sempre vai misturar um pouco, para chegar no tom correto, ou seja, um item nunca é o bastante. Além de ser um produto com valor elevado: R$88. Se você for maquiador eu apoio o investimento, pois a linha Aqua da MUFE é pensada para durar até 12 horas na água (SIM!) então para os seus trabalhos, esse produto vai ser ótimo e acrescentar muita qualidade.

Porém, se você usa maquiagem socialmente, não invista tão pesado (acho que nem o da Contém1g vale à pena nesse aspecto), afinal às vezes o produto ficará encostado e pela falta de uso, acabará estragando.

na ordem: cores #15, #30 e #35
Esses tempos maquiei a mãe de um noivo e ela não tinha nada de sobrancelhas, a dela era aquela pintada com henna e estava bem clara e apagada, usei esse produto e ela ficou linda e suave, pois ao contrário de que muita gente pensa, não fica artificial, nem marcado, pois ele, mesmo sendo à prova d'água, é possível esfumar.

Olhem em mim, misturei o tom mais acinzentado com um pouquinho do marrom mais escuro.


Só retoquei as falhas, sem mexer no design, porém é possível redesenhar sua sobrancelha toda sem que ela pareça pintada. Você encontra os produtos da Make Up For Ever à venda no Brasil exclusivamente pela Sephora.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Dicas: Compras na 25 de março

Há meses combinava com duas amigas do trabalho de irmos na 25 de março.
Até que, depois de muito "marca/desmarca", conseguimos ir. Aquele polo de compras é uma relação delicada de amor e ódio, afinal você encontra tudo lá, porém é preciso ter muita disposição e paciência para andar por tudo, encontrar bons preços e ainda mais, lidar com as pessoas, pois é fato sabido que é um mar de gente.

Bom, dessa vez não comprei tantas coisas como eu compro normalmente, uma vez cheguei numa loja e surtei, comprando muuuitas coisas e delas, a maioria está lá, encostada e sem usar. Acho que em algum momento a gente aprende a fazer boas escolhas lá na 25, compras mais assertivas. Foi o caso da última visita.


Comprei outras coisas, algumas à pedido da sogra, outras coisas para iPhone, algumas até para o meu enxoval (depois vou falar sobre isso) e poucos acessórios. Fazia algum tempo que eu queria me aventurar na tal earcuff, pois é esteticamente bonita e acho que combina com cabelo curto. Porém tem um lado negativo: aperta a parte da traz da minha cabeça e faz ela doer (em defesa da earcuff, tiaras e óculos também apertam e incomodam). Na mesma linha de coisas para apertar e doer a cabeça, encontrei essa tiara e achei ela liiinda.


O colar não comprei em nenhuma loja, fui para os camelôs. Acho que, mais uma vez, vou incentivar o "não pré-conceito" com barraquinhas e lojas populares, você encontra muita coisa bacana nesses lugares. As meninas já haviam pechinchado (existe essa possibilidade com os caras) o colar por R$10 e ai voltamos para buscar. Em minha defesa, nunca tive um maxi colar e não queria gastar muito dinheiro em um sem saber se vou usar ou não. Também nas barraquinhas encontrei essas pulseiras, do jeito que gosto: de courinho e spikes. A de spikes é bem pesadinha, de metal mesmo, muito legal.


Na mesma loja da tiara, encontrei esse anel duplo de chave. Queria um de cruz, mas o que encontrei que não estava valendo o que custava e nem era tão legal. Então quando vi esse e experimentei, garanti correndo para mim. Lindo mesmo. Tem uma loja, dentro do shopping da ladeira, se não me engano o nome é Mauro Bijouterias. Ela é a maior que tem lá dentro, no andar que é na altura da ladeira. E ela é incrível, baratinha e tem todo tipo de coisas, até utilidades para iPhone e afins. Lá sempre encontro alguma coisinha (minhas amigas gastaram bem lá) mas eu quis apenas os dois anéis acima, ambos baratinhos e delicados. (o de spike  tenho usado diariamente).


Comprei lá também um par de alargadores dourados, pois tenho pretos e prateados (tenho azul e branco também, mas não uso). Eu tenho 4mm alargados, porém não vou aumentar, por dois motivos: orelha pequena e trabalho afinal já basta ter piercing, tattoo e alargador, imagina tudo isso em grandes proporções? Justa causa, hahahaha.

Minha dica maior (além da variedade de opções) é você economizar uma graninha, pegar um dia e ir lá bem cedo, chegar umas 8:30, para andar bastante e ver as opções, pois às vezes você quer uma bijou mais cara ou até mesmo comprar para revender. O que mais tem lá são opções para todos os bolsos.

Pitada de estilo: bolsa na mão


De uns  bons tempos para cá surgiu uma pequena onda de usar a bolsa, independente do tamanho, carregada na mão, fazendo o ar "cool" de andar como se estivesse numa passarela. Ok, sei que muitas pessoas não aderiram, porém li em tantos blogs que era "o jeito de carregar bolsa do momento", que fiquei curiosa para saber qual a sensação.

Quando eu vejo blogs/ lookbook de streetstyle eu logo pressuponho que as pessoas usam aquilo ali na rua mesmo, no dia a dia. Essa é a essência da brincadeira. Então eu logo concluo de que é assim que devem se portar. No nosso dia a dia, de pessoas normais que não são it girls e não andam com fotógrafos particulares, escolhemos tamanhos de bolsas variados.

Aproveitei que ontem estava com uma bolsa relativamente pequena e, enquanto andava numa rua deserta chegando do trabalho, resolvi testar a brincadeira. Encaixei a mão por dentro da alça e apoiei a bolsa na altura do quadril. Comecei a caminhar e, óbvio, a bolsa começou a escorregar. Arrumei e tentei pressioná-la levemente contra o meu corpo para que ela ficasse firme no lugar. Aconteceu a mesma coisa, ela foi escorregando.

Tentei a façanha por uns 25 metros e meu corpo já se incomodava com a ideia de ficar arrumando a bolsa automaticamente enquanto ela caia, não era nada prático. Ok, não precisava necessariamente carregar a bolsa daquele jeito para ter certeza de que era algo que não funcionava. Porém, quis tentar e contar a sensação, justamente para ilustrar uma opinião minha.

Essas mini tendências só me fazem ter certeza de que as influências que recebemos DEVEM ser filtradas e canalizadas de forma positiva, e não serem vendidas como a nova melhor forma de carregar bolsa do universo, afinal além de não ser prático, me dá a impressão de que a sua alça estourou, por isso você está carregando a bolsa assim. hehe

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Look do dia: Pow

Tem dias que eu me movo por uma peça em específico. No caso desse look, pela blusinha da Renner. Tem dias que eu não estou com intenção nenhuma de comprar, porém surge algo bacana e eu faço aquele raciocínio rápido de custo-estilo-benefício e analiso se vale à pena comprar ou não.

No caso da blusinha isso rolou muito rápido, estava no horário do almoço e bati o olho e já gostei, mas ultimamente as coisas dessas fast fashions estão meio caras, então fui olhar o preço achando que ia ser um absurdo, só que não estava cara, a cropped estava R$29,90 e peguei uma para experimentar, afinal é muito difícil eu comprar algo sem provar ( só quando é um produto baratex, de uns 15 reais).


Adorei a estampa seguindo o estilo da Topshop (lembram da minha blusa?) e o fato dela ser assim folgadinha. Tinha PP, porém eu preferi a P para ficar mais folgada mesmo. E aí combinei com o creeper, com a saia azul e tava tudo certo :)

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pitada de Beleza: Pó Duo Panvel - Luz e Bronze

Na leva de produtinhos que eu comprei na Panvel, pedi um pó duo Luz e Bronze. Acho que de todos, foi o produto mais caro, custando algo em torno de R$7,50. Ele é relativamente claro, porém bem bonito. O cheirinho dele é bem acentuado, mas após aplicado ele se dissipa bem.




Esse machucadinho fui eu quem fiz sem querer, sou mega desastrada e esse produto é extremamente macio, logo ele esfarela bem e qualquer topadinha ele já fica assim. Porém isso não afeta o resultado dele na pele, pelo contrário.

A cor mais escura fica muito bonita e suave na pele e ela tem leves brilhos. Já a cor clara eu não gostei nem um pouco, talvez por ser clara demais para a minha pele, ou até mesmo por causa de seu acabamento. Não foi muito bom para mim.


Vejam na pele como ele fica suave. Achei bonito e delicado, com certeza combina com vários tons de pele e não fica chineladona. Pelo valor, achei uma compra justa, e vocês?!

Pitada de Estilo: o creeper



Bom, há alguns posts eu disse que falaria detalhadamente sobre o creeper e agora que já usei ele um bocado de vezes, vou contar o que eu achei.

Quando eu falei sobre eles aqui no blog, a quase um ano atrás, não imaginei que iria deixar de achar o modelo, como eu mesma disse, um "bonito estranho" para vê-lo como uma peça que faz sentido para min. Porque acima de tudo as coisas precisam fazer sentido para mim, para que eu possa usá-las.

Dito isso, posso contar o que achei do sapato para vocês. Resolvi fazer esse post, pois sempre que uso um sapato sinto alguma coisa no pé ou no joelho, e mesmo sendo tênis, sapatilha e afins. Imagine então com um sapato com um solado grosso e aparentemente pesado.

CONFORTO
Tecnicamente é um sapato confortável, pois, apesar da aparência pesada, ele é muito leve e não é duro. Para andar achei que ele seria escorregadio, mas ele é bem firme e mesmo desamarrado o meu pé não torceu para o lado. Outro ponto é que, com uma sola tão grossa, pensei que a pisada seria diferente e difícil, porém não achei que ele tenha "engessado" minha pisada.

APARÊNCIA
Não sei se é porque agora ele faz sentido para mim, mas tenho usado ele quase todos os dias e acho que tem completado bem o meu estilo. Engraçado que eu pensei que as pessoas na rua iriam me medir mais que o normal, negativamente (esses dias um tiozão exclamou um 'nossa senhora' com cara de desprezo quando me viu), porém percebi o oposto, mesmo não me importando muito eu percebo pessoas me medindo, acredito que por ser mais 'diferentona'.

ESTILO
Eu passei a procurar menos quantidade e mais qualidade nas minhas compras em geral. Qualidade, para mim, significa encontrar peças que vão montando o quebra-cabeças que existe aqui na minha caixola, de modo que eu não preciso ter 15 blusinhas brancas se eu encontrar a correta. Enfim, meu raciocínio lógico. Ele preencheu uma lacuna grande que existia na minha sapateira, pois eu adoro sapatos pesados e estou cansada de sapatilhas. Sem contar que muitas vezes eu também não estou animada para os tênis. Eu consegui usar jeans sem achar que estava comum e batido e esses dias, numa loja de marcas como Abercrombie, Ed Hardy e afins (estávamos comprando presente para o meu cunhado) as vendedoras super elogiaram meu estilo e adoraram o sapato. Na verdade muitas pessoas falaram dele positivamente. Senti um retorno melhor do que quando usava sneakers, por exemplo.

DOR
Meus joelhos doem normalmente, até porque eu era esportista e de uns anos para cá parei com tudo (juro que estou me esforçando para me exercitar, sinto falta), andava de skate, jogava bola e handbol e isso tudo deixou meu joelho bem gasto, porém o creeper só faz meu joelho doer quando estou sentada. Sei que parte disso é por conta da minha postura incorreta ao me sentar e também por não ficar com o pé propriamente "calçado" no chão (sempre que percebo, ele está tortinho). Acho que o fato de ter os joelhos levemente para dentro, faz com que qualquer coisa que eu use agrave algum tipo de dor. Porém não foi nada horrível como a dor que eu ficava nos joelhos após usar sneaker o dia inteiro.

PREÇO
Paguei R$99,00 em uma loja de calçados da Lapa, dessas bem conhecidas, achei curioso encontrar o sapato lá e ele ser assim, pois os mais comuns são os modelinhos mais delicados, para cair no gosto da brasileira. Achei justo por ser um modelo incomum e por ser um produto difícil de ser encontrado.

Por fim, considero uma boa compra, pois já usei bastante e já percebi que vou usar até o solado sair, rsrs Indico, caso você queira investir!


sexta-feira, 3 de maio de 2013

Pitada de Amor: Porque Amar Faz Bem

Dica: Antes de começar a ler o post, aperte play

Viver uma história de amor linda, encantadora, perfeita, mas que chegou ao fim? Chorar litros, gastar milhões de lenços de papel e se empanturrar de chocolate assistindo comédias românticas do tipo “O Diário de Bridge Jones”, “PS I Love You”, teimar em querer aquele bendito amor de volta? Correr atrás feito louco e desistir logo em seguida? Quem nunca?

Ah os amores, sejam eles de verão, primavera, outono ou inverno. Seja para a família, os amigos e até os platônicos. Esse sentimento bom sempre gera aquela que eu considero a melhor sensação de todas, das borboletas no estômago, fazem as pernas tremerem e tiram sorrisos bobos, bobos, das nossas bocas.

Como diria a canção “Amar alguém só pode fazer bem” (MONTE, Marisa) e faz, então vamos sair por ai distribuindo mais amor, por um mundo mais clichê, careta, mimimi, brega e apaixonado mesmo, por favor.



Pitada de Estilo: Educando o olhar

Sempre quando faço compras, elas normalmente são bem analisadas. Não é sempre que faço no impulso e não é sempre que compro uma peça cara. Me acostumei a educar o olhar para encontrar boas oportunidades. E é sobre isso que quero falar hoje. Muitas vezes nos habituamos a comprar só aquilo que nos salta aos olhos, aquele "amor à primeira vista", sabe?

E muitas vezes boas oportunidades estão escondidas desses desejos. Toda vez que uma modinha muito forte aparece, eu analiso bem se vou investir nela. Se tiver uma opção mais barata, eu vou optar por ela, deixo para investir pesado em peças neutras e de qualidade, para durarem mais tempo. Então quando é algo da estação, ou algo muito trash, como as listras do Beetlejuice, acho que temos filtrar muito bem nossas opções.

Claro, sei que o dinheiro é de cada um e cada um faz o que bem entender. Mas, que tal investir um valor "ok" na peça da tendência e pegar mais dinheiro para investir em coisas que vão durar mais tempo?!

Pensando nisso, vim dar uma dica. Se você quiser encontrar peças legais com preços mais legais ainda, ai vai. Tire um dia para ir bater perna em um lugar como a Lapa. Vá com uma boa dose de paciência e algumas horas de sobra, pois alguma coisa você vai encontrar que valha à pena. Olhe tudo sem preconceitos, afinal sua peça especial pode estar escondida no meio daquelas araras. Mesmo que ao invés de tocar Katy Perry, esteja tocando forró rala bucho, a música é só uma distração. (o único estilo de música que realmente me irrita é o funk).

Sair de dentro do shopping muitas vezes faz bem. Olhe tudo com uma visão clínica de alguém que procura por tendências escondidas no meio de tanta roupa que não vale à pena. Se prepare, pois ali você vai ver muita coisa: mini shorts de malha, mini blusa, mini vestido de furinhos. Vai ter muita coisa de mau gosto. Porém, em algum momento, você vai encontrar alguma coisa que agradará muito.

Foi o que aconteceu com a blusa abaixo. Entrei na última lojinha do dia para ver se encontrava um presente para a minha mãe, que até então não tinha gostado de nada. Ela começou a olhar e eu fiquei atraída por um vestidinho. Porém ele não fazia muito o meu estilo e não fiquei 100% certa sobre ele. Até que vi o moletom e pensei "Nossa, eu quero". Perguntei o preço R$20 reais. CLARO QUE VOU LEVAR!! - Exclamei para a minha mãe. Daí você pode me questionar: "Mas Vivis, porque esse moletom que nem é hypado?" Porque ele tem um tom de verde acinzentado (ou seria cinza esverdeado?) e tem a estampa em dourado com a seguinte frase "Everything you can imagine is possible".

Além de ter uma frase de impacto que eu gostei, eu poderia customizar com alguns spikes (como aparece na foto) e se não ficasse bom, ou estragasse, não seria um grande prejuízo. Entendem como às vezes é bom comprar algo mais acessível, principalmente se for algo que possamos enjoar daqui algum tempo?

Educar o olhar não é difícil. Basta apenas observar além das araras badaladas.


Vamos tentar?

Pitada de Beleza: kit de pincéis DMake

É fato, eu amo pincéis. Mais que isso. Sou doente por pincéis.
Confesso que gostaria de gastar meu suado dinheirinho em kits bem caros e desejados. Porém sou sã e não vou fazer isso, então analiso muito bem o que vou comprar e sei aproveitar quando surge uma oportunidade. Estava borboletando minhas ideias de comprar o meu tão sonhado kit da Coastal Scents, só que duas coisas me fizeram decidir por não comprá-lo ainda: Ia ter um freela bacana, com várias clientes e precisava de um kit melhor e não queria/podia esperar.

Automaticamente lembrei de algumas resenhas que li na internet sobre os pincéis que a Debby Shop desenvolveu, a linha DMake, e resolvi entrar no site para ver os valores. R$149,90 o kit com 13. Pensei bem e resolvi investir. Simplesmente por estarem no Brasil e por terem recebido bons elogios nas resenhas.

Comprei numa quinta-feira e chegou na quarta feira seguinte, bem antes do prazo agendado. Os produtos vieram do Rio de Janeiro, porém achei tudo muito simples e rápido. Agora, vamos ao kit.

Ele vem numa case bem bonita de vinil (ou seria verniz?) e tem uma aplicação na parte do botão, simples e elegante. A case é bem feita e firme, deixando os pincéis bem protegidos.


São treze pincéis de cerdas naturais e sintéticas. Tem para os lábios, 8 para os olhos e 4 para a face. Além de vir com um ótimo pincel para blush e um bom pincel para pó, vem um duo fiber que virou meu querinho.





Tem todos os tipos de pincéis essenciais e é realmente um kit excepcional. Achei que o valor valeu muito à pena por conta da qualidade. O cabo de madeira é bem firme e maciço, a parte de metal também é bem firme e as cerdas não caíram após as primeiras lavagens. O que me impressionou muito e talvez seja porque meus outros pincéis eram todos sintéticos, é que esses secam muuuuito rápido e isso me deixa feliz, pois ficam limpinhos e secos depressa. Para se sujarem novamente! Eu continuo querendo os kits da CS, da Sigma, da MAC, da MUFE, porém o que eu podia comprar era esse e ele me deixou MUITO satisfeita.

Além de me deixar feliz por ter uma marca nacional vendendo um produto tão digno aqui dentro com um preço tão justo, principalmente se comparado à outros kits similares.

Amo ele, de verdade.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Pitada de Beleza: Make Up Candy Panvel - Blush

Esses dias coloquei na cabeça que queria experimentar os produtos da Panvel. Para quem não sabe, a Panvel é uma rede de farmácias lá do Sul que tem uma forte atuação em venda online e, além dos produtos multimarcas, ela tem vários produtos da própria Panvel. Tem todo o tipo e tem uma linha de maquiagem (o último lançamento foi com a Isabela Capeto), porém resolvi começar por produtinhos pequenos, para não me frustrar caso não gostasse.

Como meu último blush em creme secou, resolvi comprar esse, pois estava baratinho: R$4,50 na promoção. Ele é bem rosa chiclete e ele é denso, achei difícil de pegar com o pincel.



A embalagem dele é bem frágil, caiu e trincou toda, saiu até um pedacinho, mas ainda consigo fechar direito.
Concentrado ele fica bem escuro na pele e da a impressão de que vai virar chinelada, não acham?! Mas olhem na foto como ele fica na pele!



Apliquei com pincel duo fiber e achei que ele ficou bem leve, pela cor que ele tem direto no potinho. Não acham?! O cheirinho dele não é dos melhores, é cheiro de maquiagem, sem perfume. Mas gostei :) Ah! Depois ainda apliquei pó por cima e blush em pó, só saiu com demaquilante, mas durou horrores na pele!

Look do dia: o creeper

Eu fiz força. Disse que não iria comprar. Passei horas abrindo e fechando o ebay em busca de um modelo que me agradasse (somado ao preço, ao frete e à distância). Foi difícil decidir. Cheguei na Lapa com a intenção de comprar algumas utilidades para o lar, presentes para a mãe (que estava junto) e qualquer besteirinha.

Mas cometi o erro de entrar naquela loja e olhar a vitrine. E mais. De pedir para VER e PROVAR o sapato. Então o mal estava feito!



Ok, estou exagerando um pouquinho, mas confesso que estava me fazendo de difícil para a modinha dos creepers. Já achava bonitinho e até já falei no blog sobre eles, lembram? Mas fiquei analisando muito bem se valia à pena investir neles, afinal eu comprei 2 sneakers, um deles foi mais de 200 reais e hoje em dia eles não fazem mais sentido para mim. Ainda uso, porém não me sinto mais tãããão bem assim. A gente muda, né.

Mas na hora de comprar tive apenas um pensamento: não vou comprar nenhum outro creeper nos próximos meses para ver qual vai ser a sensação quando a febre passar. Estou tentando ser minimamente lógica, sejam compreensivas, rs

O importante mesmo é que eu adorei o sapato e que achei o valor "ok" pelo fato de ser mais uma dessas "novidades". Ele custou R$99,00 e eu comprei na loja de calçados Gabriella, acreditem se quiserem. No meio de todos aqueles outros modelos que eu não curto.

Estou preparando uma resenha detalhada sobre o creeper, então vou guardar os detalhes sobre o sapato para depois, ok? Num geral, posso afirmar que gostei muito dele e gostei muito do look.


Aproveitei que iria estrear o sapato e quis usar o cropped de moletom junto, afinal estava doida para desfilar meu trabalho! Muita gente elogiou e eu fiquei muito feliz! E vocês, gostam de creeper? E do look? :)

Creeper R$99 | Calça Renner R$80 | Cropped Customizada | Regata preta presente

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Pitada de criatividade: Transformando um moletom

Uma coisa que sempre me fez muito feliz e que há muito eu não desenvolvia era o meu lado criativo. Quer dizer, não estou afirmando que sou a personificação da criatividade, porém amo customizar e costurar e fazia muito tempo mesmo que não criava nada.

Andando no shopping com as amigas esses dias vimos uma blusa cheeeia de chatons (essas pedrinhas lindas e ricas) e ela bem cara e eu resolvi reproduzir de um modo acessível. Então fotografei tudo para mostrar para vocês!

Você vai precisar de:



  • Tesoura
  • Moletom/blusa para customizar
  • Chatons de tamanhos variados
  • Cola Pano/Cola Lantejola


O meu moletom estava assim quando eu comecei!
  • Escolha qual vai ser o modelo da sua gola, eu quis fazer em "V"
  • Para cortar a gola certinha, junte a costura dos ombros e alinhe a gola.
  • Comece cortando pela parte de trás da blusa, corte até a linha da costura do ombro.
  • Quando chegar na linha do ombro corte reto por mais três centímetros e posicione sua tesoura para fazer a gola. Nessa hora é importante ajeitar bem a blusa, para ela não ficar torta.
  • Com a sua gola cortadinha, comece a definir a posição das pedrarias.
  • Resolvi começar pelo meio para copiar direitinho de cada lado.
  • A cola para lantejola funciona quando entra nos buraquinhos, ela gruda que é uma maravilha, então é só colocar produto em toda a superfície, principalmente nos furinhos.
  • Na hora que aplicar a pedra na blusa, dê uma leve apertada para a cola sair pelos furinhos.
  • Continue todo o processo com as demais pedrarias.
  • Monte o desenho que mais gostar. Um dica é ir fazendo um pouco de cada vez, para copiar igual nos dois lados.
  • Se quiser que a sua cola seque mais depressa (ela demora em torno de 72 horas para ficar totalmente seca) use um secador no jato quente para acelerar o processo.
  • Meu desenho ficou assim.

Depois que eu terminei de colar os chatons estava satisfeita com o trabalho, porém não com o corte da blusa, que era muuito larga. Então resolvi cortar um pouco embaixo e ficou como está na foto abaixo, mas ainda sim as mangas eram muuito largas e resolvi cortar os punhos (da blusa, hehe) e mesmo assim não curti então cortei mais ainda as mangas.


Acabou virando uma espécie de cropped de moletom, então dobrei as manguinhas e aproveitei a Cola Pano e colei para não precisar fazer a costura. No final? AMEI o resultado.


E vocês?! Gostam de posts assim?!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...